Esteio inaugura nesta segunda-feira república para moradores de rua

Esteio inaugura nesta segunda-feira república para moradores de rua

O serviço funcionará no bairro Santo Inácio e terá capacidade para 20 abrigados

Fernanda Bassôa

A inauguração será hoje

publicidade

Será inaugurado nesta segunda-feira o local que vai funcionar como espaço de moradia e convivência para pessoas em situação de rua. A República Juntos Esteio funcionará no prédio do Centro Municipal de Educação, Cultura e Inclusão Social, no bairro Santo Inácio e, inicialmente, terá capacidade para 20 abrigados. O serviço ocorre em parceria com a Central Única das Favelas (Cufa), responsável pela execução do projeto. A prefeitura faz a cedência do espaço, além dos trabalhos realizados pelas equipes de abordagem social da administração e do custeio mensal do programa, que receberá R$ 532,3 mil, pelo período de um ano.

A secretaria municipal de Cidadania, Trabalho e Empreendedorismo de Esteio, Tatiana Tanara, diz que é um projeto importante e diferente. “Atua com aquelas pessoas que efetivamente desejam superar a rua, que querem a inserção no mercado de trabalho e buscam a ressocialização por meio de questões emancipatórias, valores, acreditando que todos somos protagonistas na nossa história.” Segundo ela, oito pessoas, que já passaram pelo processo de seleção e triagem, têm vaga garantida no espaço. Explica que a inauguração, que havia sido anunciada para julho, ocorre só agora em função de trâmites burocráticos da gestão pública e em razão da reforma e readequações dos espaços. “A previsão orçamentária já havia sido garantida.”

O Centro tem quatro banheiros, uma cozinha e quatro quartos compartilhados, com roupeiros individualizados. Para ser acolhido, o beneficiário deverá seguir requisitos e regramentos e participar das oficinas e cursos de capacitação. O tempo de permanência é de 180 dias, podendo ser renovado por igual período. O preparo de alimentos e a limpeza ficarão por conta dos usuários.

O presidente da Cufa-RS, Manoel Soares, diz que a instituição trabalha com tecnologia social. “Existe uma república nos mesmos moldes em Porto Alegre que funciona há 5 anos. Temos 60% de aproveitamento. É o que chamamos de corredor social que segue um calendário pedagógico-social, identificando lacunas e aspectos mais vulneráveis, redesenhando a vida deste indivíduo. Realmente é um espaço diferente e, ao mesmo tempo, inovador.” 

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895