Estiagem afeta o abastecimento de água em Frederico Westphalen
capa

Estiagem afeta o abastecimento de água em Frederico Westphalen

Um carro-pipa é utilizado para transportar água potável a população

Por
Agostinho Piovesan

Máquinas são utilizadas para limpar e reabrir bebedouros e fontes de água.

publicidade

A redução da vazão dos rios, fontes naturais e poços artesianos no interior de Frederico Westphalen está obrigando a Administração Municipal a mobilizar equipes das secretarias de Obras, Viação e Serviços Urbanos e Agricultura para atender dezenas de famílias que enfrentam problemas de abastecimento de água.

Um carro-pipa é utilizado para transportar água potável da Corsan até as localidades de São José, Linha Vanelli, Boa Esperança, as linhas Garlet, Alecrim, Brondani, Santos Anjos, Alto Alegre, São Paulo, Barra do Braga, 21 de Abril, São José, Barrilense, Vilinha, Alecrim, Querubim, Iraí, além do Distrito de Castelinho.

Segundo o secretário de Obras, Viação e Serviços Urbanos, Paulo Tigmann, há necessidade de chuvas fortes e por vários dias para recuperar os mananciais hídricos. “Estamos transportando duas cargas de água por dia de 30 mil litros cada uma até a zona rural e, de forma alternada, procuramos atender os moradores que sofrem com a falta de água para atender os rebanhos bovinos, além da criação de aves e suínos e, em alguns casos, para o próprio consumo doméstico”, disse.

O secretário da Agricultura, Ledonir Queiroz, informou que em algumas localidades os poços artesianos estão reduzindo sua vazão de forma significativa. “No distrito de Castelinho, um poço artesiano com 300 metros de profundidade produz 50% menos água do que numa situação normal, de chuvas periódicas, e isso dificulta o abastecimento de dezenas de moradores”, observa. Ele cita, ainda, os poços artesianos perfurados nos últimos anos nas localidades de Boa Esperança e Linha São Paulo, os quais também reduziram a vazão.

Queiroz informou que máquinas são utilizadas para proceder a limpeza de açudes e fontes naturais, uma forma de garantir a formação de depósitos de água utilizados, nestes casos, para suprir a demanda com os animais e aves. A administração municipal anunciou que encaminhou pedido de situação de emergência à Defesa Civil do Rio Grande do Sul. A meta é, caso não chova forte nos próximos dias, solicitar apoio do Estado especialmente para abrir poços artesianos em diversas localidades.

Mobilização

Preocupados com o abastecimento de água, moradores de quatro comunidades de Frederico Westphalen reuniram-se na noite dessa segunda-feira, na Linha Mânfio, com o presidente da Câmara de Vereadores, João Francisco Vendruscolo, e representantes do Executivo Municipal para discutir alternativas que possam amenizar e solucionar o problema da falta de água. O poço localizado na linha Boa Esperança, que foi perfurado há mais de 18 anos, tem cerca de 330 metros de profundidade e a bomba se encontra a 324 metros. De acordo com o tesoureiro da associação que administra o poço e a respectiva rede de água, Sandro Strak, no início eram em torno de 40 famílias abrangidas, mas esse número foi crescendo, gradativamente, ao longo dos anos e atualmente são mais de 90 unidades.

Mesmo com o aumento da quantidade de famílias beneficiadas e, consequentemente, maior consumo, a vazão média de 10 mil litros/hora sempre foi suficiente, conforme Strak. No entanto, embora ainda não tenha sido feita nova medição, os moradores acreditam que a capacidade do poço tenha sido reduzida pela estiagem, fazendo com que o problema da falta de água seja registrado pela primeira vez desde que foi perfurado. Os moradores reivindicam a perfuração de mais dois poços artesianos para abastecer os moradores, através da rede de distribuição já implantada na comunidade.

Iraí

O prefeito de Iraí, Antonio Vilson Bernardi, informou que fontes naturais, açudes e poços artesianos também reduziram a vazão. “Um exemplo é o poço perfurado há anos na localidade de Linhas Lourdes que teve sua vazão. Estamos transportando duas cargas de água por dia, com 15 mil litros cada, até as localidades de Farinhas, Lourdes, Bela Vista e Ovaieira, uma forma de garantir o fornecimento para atender as propriedades rurais”, afirmou.