Estiagem no Rio Uruguai provoca escassez de peixes e reforça medidas de segurança em Uruguaiana

Estiagem no Rio Uruguai provoca escassez de peixes e reforça medidas de segurança em Uruguaiana

Em condições normais, manancial é responsável por sustento de pescadores e alimento aos animais criados na área ribeirinha

Fred Marcovici

Rio Uruguai media neste domingo apenas 0,68 cm, bem abaixo da média de 3m,

publicidade

A estiagem que castiga o Rio Grande do Sul aflige também a cidade de Uruguaiana mesmo sendo banhada pelo caudaloso rio Uruguai. O manancial em condições normais sustenta pescadores, assegura alimento aos animais criados na área ribeirinha do município e é o único ponto de captação de água para suprir o abastecimento à população do perímetro urbano da cidade. 

Há pelo menos 10 dias a empresa concessionária responsável pelo serviço de tratamento e distribuição tem reforçado a necessidade de atenção ao consumo e uso consciente de água nesta fase de contingência. Os cuidados redobrados em limpeza, higiene pessoal e de ambientes - visando conter a evolução do novo coronavírus torna o quadro ainda mais delicado. 

O rio Uruguai media neste domingo apenas 0,68 cm, bem abaixo da média de 3m, comum nesta época do ano. Uma pessoa de 1,70m pode atravessar, sem risco, a pé, o rio no trecho entre Uruguaiana até a vizinha Paso de los Libres, na Argentina. Toda a linha está interditada pela administração pública para evitar aglomeração de pessoas que buscam laser e entretenimento às margens do Uruguai. Os pescadores profissionais ou amadores lamentam não poder “largar nem mesmo uma linha na água”. 

Com a redução do nível, o gosto e cheiro da água estão comprometidos devido às algas que proliferam devido à associação de altas temperaturas registradas e estiagem, mas conforme os técnicos - sem comprometer a potabilidade para o consumo. A previsão para as próximas horas é de chuva que não ultrapassará 5mm – insignificante perto da necessidade.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895