Governo do Estado assina contrato de concessão da RSC 287

Governo do Estado assina contrato de concessão da RSC 287

Convênio terá vigência de 30 anos

Otto Tesche

A nova concessionária deve assumir por volta de 20 de agosto a responsabilidade pelo trajeto

publicidade

O governador Eduardo Leite (PSDB) assinou na manhã desta terça-feira o contrato da concessão da RSC 287 com a Rota de Santa Maria, empresa do grupo Sacyr. O ato ocorreu junto ao viaduto Fritz e Frida, em Santa Cruz do Sul. O convênio terá vigência de 30 anos, período durante o qual a concessionária será responsável pelos 204,5 quilômetros entre Tabaí e Santa Maria. A nova concessionária deve assumir por volta de 20 de agosto a responsabilidade pelo trajeto, hoje nas mãos da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), no segmento entre Tabaí e Paraíso do Sul.

O leilão vencido pelo grupo espanhol Sacyr ocorreu em dezembro e essa é a primeira de uma série de privatizações de rodovias que o governo do Estado pretende encaminhar. Também será a primeira concessão rodoviária no Brasil da Sacyr, que administra mais de 3 mil quilômetros de estradas na América Latina e Europa. O grupo ainda atua na gestão de hospitais e aeroportos, construção de ferrovias e em projetos na área de saneamento.

A tarifa nas praças de pedágio de Candelária e Venâncio Aires, que hoje é de R$ 7,00, no início da concessão baixará para entre R$ 3,70 e R$ 3,80. O valor será reajustado anualmente com base no IPCA. Além disso, após um ano de concessão serão implantadas mais três praças, em Santa Maria, Paraíso do Sul e Tabaí. A empresa pretende iniciar, tão logo assumir a rodovia, uma série de melhorias, com tapa-buracos, recapeamento e reforço na sinalização e estrutura de segurança para garantir um nível de conforto e, principalmente, de segurança ao usuário.

Nos primeiros seis meses, haverá serviço de ambulância e guincho apenas no trecho entre Venâncio Aires e Candelária. Depois, passará a ser atendida toda a extensão da rodovia. A duplicação da RSC 287 começará em 2023 e vai ocorrer em etapas, priorizando os trechos urbanos. À medida que os trajetos duplicados forem entregues, também será recuperada a rodovia atual, sobretudo em pontos já identificados onde haverá necessidade de uma intervenção na base.

Nos primeiros cinco anos de investimentos, a concessionária deverá empregar 300 pessoas diretamente. O número deverá crescer de acordo com a execução das obras, com expectativa de passar de 1,5 mil pessoas. O governador Eduardo Leite destacou que as melhorias na estrutura devem atrair novos empreendimentos ao longo da rodovia. Destacou o nível de organização do movimento Duplica 287, coordenado por diversas entidades das regiões de Santa Cruz do Sul e Santa Maria, para que a demanda ganhasse destaque nas prioridades do Estado. Conforme o governador, outros três lotes com 1,1 mil quilômetros de estradas serão leiloados para a concessão nos próximos meses na Bolsa de Valores de São Paulo.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895