capa

Governo suspende edital de concessão do Parque Zoológico de Sapucaia do Sul

Intenção é avaliar item por item e fazer alterações visando angariar mais interessados junto à iniciativa privada

Por
Fernanda Bassôa

Atualmente o Parque Zoológico conta com 1.213 animais expostos

publicidade

O edital para concessão do Parque Zoológico de Sapucaia do Sul, cujas propostas deveriam ser apresentadas até esta terça-feira, foi suspenso nesta segunda pelo governo do Estado. A intenção, conforme informado pela Secretaria de Governança e Gestão Estratégica, é avaliar item por item do edital e fazer alterações visando angariar mais interessados junto à iniciativa privada, atraindo novos investimentos para o local. Para isso, serão repensados e reavaliados valores, tipos de obras e de serviços. Entretanto, a modelagem inicial de concessão, lançada ainda na gestão passada, será mantida. A publicação do novo edital ainda não tem data prevista.

O titular da pasta, Cláudio Gastal, diz que o "recuo" seria necessário para atrair investidores ao negócio. E reforçou que a decisão de cancelar o certame nada tem a ver com o consórcio (KPMG), ou com a qualidade do trabalho feito por eles que, segundo o secretário, foi totalmente satisfatório.

"Nós sentimos a necessidade de recuar no processo, visando rever alguns parâmetros e critérios de seleção com a finalidade de tornar o certame mais competitivo. Estamos falando de uma parceria que vai durar 30 anos. É necessário prever segurança jurídica e de investimento. Ou seja, garantia para o investidor para que tenha taxa de retorno. O zoológico dispõe de uma área enorme e é preciso pensar novas e melhores formas de exploração do espaço, deixando-o mais atrativa para o investidor, para o parceiro público privado. Além disso, a concessão tem uma modelagem específica, pois requer expertise especialmente no que diz respeito ao cuidado e tratamento dos animais." 

Gastal garante que o Conselho Gestor deve se reunir dentro das duas próximas semanas, mas informou que o edital não deve ser relançado em menos de 30 dias. A intenção da concessão é realizar uma completa modernização do parque, contemplando desde a reconstrução dos ambientes até garantias de bem-estar de todo o plantel, que deverá ser ampliado.

A proposta do edital cancelado nesta segunda-feira previa um contrato de R$ 59,3 milhões, valor correspondente ao somatório de investimentos por um tempo mínimo de 30 anos. Além disso, não permitia a construção de shoppings, edifícios residenciais ou hotéis e a concessão poderia ser renovada uma ou mais vezes até o limite máximo de 50 anos.

Ainda, no antigo edital (publicado em abril do ano passado), era permitida a comercialização de espaços publicitários, estacionamento para veículos, eventos culturais, esportivos ou comerciais, cobrança pelo uso de imagem ou de marcas de identificação, atividades de marketing e publicidade, alimentação, incluindo restaurantes, lanchonetes, bares, cafés e máquinas de atendimento, aluguel de bicicletas, equipamentos esportivos e de lazer, e atividades recreativas, atrações envolvendo interação com os animais, palestras, cursos, oficinas e seminários.

Atualmente o Parque Zoológico conta com 1.213 animais expostos em uma área de 25 hectares de um total de 150 hectares. O local conta com cerca de 60 funcionários.