Guaíba estima que 20 mil moradores tenham sido afetados pelo forte temporal

Guaíba estima que 20 mil moradores tenham sido afetados pelo forte temporal

Diretor de Governança do município diz que cenário no município se assemelha ao de uma guerra

Lucas Eliel

Guaíba decretou situação de emergência por conta de forte temporal

publicidade

Após o forte temporal que atingiu Guaíba nessa segunda-feira, o município, que decretou situação de emergência, concentra os esforços em atender a população afetada pelas fortes chuvas. De acordo com o Diretor de Governança da prefeitura local, Luís Maffini, os estragos ocorreram principalmente nos bairros Cohab e Santa Rita, que juntos têm cerca de 20 mil moradores. "É uma situação de terror, parece uma guerra. Nós nunca tínhamos passado por uma situação dessas", ressalta.  

No Santa Rita foi instalado um QG para ajudar a população, em frente Atual Supermercados, localizado na avenida Lupicínio Rodrigues. O espaço também atende moradores do bairro Cohab. De acordo com a prefeitura, já foram atendidas 3 mil solicitações de moradores precisando de lonas para solucionarem de forma emergencial os destelhamentos de suas casas. "Muita gente acaba não chegando até os nossos serviços porque as próprias pessoas vão se ajudando em comunidade", diz o diretor de Governança.

Conforme Maffini, anteriormente havia sido montado um comitê de crise na cidade para atender emergências meteorológicas como a que ocorreu ontem, o que facilitou a prefeitura a montar ações de enfrentamento aos danos ocasionados pela chuva. "Quando nós vimos que era forte (o temporal), todo mundo já sabia o que fazer", enfatiza. 

Maffini afirma ainda que Guaíba segue bastante mobilizada nesta terça-feira, com diferentes frentes de atendimento pós-temporal. "Nós tivemos muitas quedas de árvores. Temos 150 homens fazendo força-tarefa para retirada delas. O Corpo de Bombeiros está realizando vistorias nas casas para avaliar se os moradores precisam ou não de alojamento", comenta. Além disso, foi montada uma estrutura na prefeitura da cidade para doações à população afetada. "Precisamos principalmente de colchões, roupas de cama, roupas e calçados e de produtos de higiene e limpeza", complementa. 

Poste caido em localidade de Guaíba nesta terça-feira | Foto: Alina Souza 

De acordo com a prefeitura de Guaíba, não há até o momento registros de pessoas que tenham sido feridas pelos estragos do temporal. O movimento de pessoas indo a madereiras e ferragens aumentou nas últimas horas para a compra de telhas ou lonas para residências atingidas pelo vendaval. 

A violência do vento chegou a provocar o tombamento de caminhões na BR 116 e estraçalhou vidros de casas e prédios. Todos os postes de luz do bairro Santa Rita caíram, sendo que um deles desabou sobre a pista em diversos pedaços, obstruindo parcialmente a via.

Uma casa na avenida Doutor Nei Brito teve um cômodo completamente destruído. “Foi questão de menos de cinco minutos”, lamentou nessa segunda a moradora, Natália Beatriz. Segundo Maffini, há dois casos emblemáticos de estragos em Guaíba. Um é a destruição quase completa de uma igreja Betel e o destelhamento total da Escola de Ensino Fundamental Carmen Alice, a Ciepe. 

Tipo de fenômeno que atingiu Guaíba 

A administração de Guaíba suspeita que tenha ocorrido na cidade um tornado. A Metsul Meteorologia, no entanto, destaca que uma análise preliminar não indica o fenômeno no município. "O temporal que atingiu o município de Guaíba está, seguramente, entre os mais intensos que já atingiu a cidade. A ferocidade do vento e a gravidade dos anos observados que chocam o observador, por óbvio, leva muitas pessoas a suspeitarem de tornado. Tornado é um fenômeno que atravessa uma faixa limitada de terreno, deixando um rastro de destruição numa espécie de linha (irregular) por onde passa. Os danos observados na cidade de Guaíba ocorreram numa zona muito ampla em que os danos estão dispersos por muitos pontos", esclarece. 

*Com informações dos repórteres Guilherme Kepler, Giullia Paia e André Malinoski


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895