Homem é preso após ato de racismo em drive-thru de vacinação em Pelotas

Homem é preso após ato de racismo em drive-thru de vacinação em Pelotas

Ele dirigiu ofensas para estudante voluntária que trabalhava no Centro de Eventos Fenadoce

Angélica Silveira

publicidade

Um ato de racismo ocorreu, na manhã desta sexta-feira, no Centro de Eventos Fenadoce, onde acontecia o drive-thru de vacinação contra a Covid-19. Um homem, que não estava com todos os documentos necessários para imunização, alegou que uma estudante voluntária que trabalhava no local estava prejudicando-o. “Ele achou que a vítima estava dificultando e disse que, por isso, não gostava de negro. Que negro só servia para incomodar”, relatou a delegada da Delegacia de Pronto Atendimento de Pelotas, Cristiane Ulguim.

O homem foi preso pela Guarda Municipal e conduzido à Delegacia de Pronto Atendimento e depois ao Presídio Regional de Pelotas. “Não teve fiança, pois crime de racismo é inafiançável”, esclareceu a delegada. Segundo ela, o homem estava saindo de uma fila para ingressar em outra quando disse as ofensas à mulher negra.

“A vítima não ouviu, quem escutou foi a testemunha que também é voluntária. Ele não foi vacinado pois foi levado direto para a delegacia após falar. Quando faz isto, ele generaliza a raça, dizendo que nenhum presta. Foi uma ofensa coletiva dirigida a toda a raça negra, sendo enquadrado no crime de racismo”, explicou a delegada. O homem tem vários antecedentes criminais e é morador de Bagé. "Nos dias de hoje, a pessoa ajudando, vacinando, não se faz uma coisa dessas”, observou a delegada. 

Para a secretária municipal de Saúde, a situação é lamentável. “Elas tanto têm nos ajudado no enfrentamento à pandemia, um ato de esperança que é a vacinação e, infelizmente, houve um ato de desrespeito. Lamentamos o que ocorreu e prestamos assistência necessária à moça e os fatos apurados na polícia”, garantiu.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895