Hotel desativado acolherá pessoas com suspeita de Covid-19 em Palmeira das Missões
capa

Hotel desativado acolherá pessoas com suspeita de Covid-19 em Palmeira das Missões

Prédio tem 14 andares e 112 apartamentos e deverá isolar pacientes não graves portadores do novo coronavírus

Por
Agostinho Piovesan

Local deixou de funcionar em 2016

publicidade

Para acomodar pessoas suspeitas de terem contraído o novo coronavírus, o proprietário do Wilson Park Hotel de Palmeira das Missões, o empresário Wilson Ferrarin, colocou a estrutura do edifício à disposição do município e órgãos de saúde do estado. O prédio tem 14 andares e 112 apartamentos e foi desativo em 2016. O prédio tem, ainda, um auditório que pode abrigar 140 pessoas. O prefeito Eduardo Russomano Freire disse que entrou em contato com a família Ferrarin para discutir da possibilidade da utilização da estrutura para o isolamento de pacientes não graves portadores do coronavírus. 

“No sábado recebemos a confirmação por parte da família Ferrarin da disponibilização de toda a estrutura para acolhimento de pessoas suspeitas estarem infectadas pelo coronavírus. É um gesto que emociona e mostra a importância da solidariedade neste momento tão complicado na área da saúde”, disse. Freire informou serão usados todos os quartos, cozinha e demais áreas do prédio localizado na zona Sul da cidade.

Governador agradece pelo gesto

O governador Eduardo Leite, tão logo soube do gesto da família Ferrarin, enviou mensagem de voz, agradecendo pelo gestão de solidariedade. O secretário de Administração da prefeitura de Palmeira das Missões, Gesiel Serra, informou na manhã desta segunda-feira que equipes técnicas – compostas por engenheiros, arquitetos e profissionais da 15ª Coordenadoria regional de Saúde (15ª CRS) de Palmeira das Missões – já iniciaram a avaliação de toda a estrutura e da necessidade de realizar ações que permitam a total utilização do prédio.