Inicia colheita da uva em parreiras plantados na fachada do prédio da Câmara de Vereadores de Caxias

Inicia colheita da uva em parreiras plantados na fachada do prédio da Câmara de Vereadores de Caxias

Presidente Velocino Uez e o vice Elisandro Fiuza colheram os primeiros frutos da atual safra

Celso Sgorla

Presidente e vice-presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul colheram as primeiras uvas nas parreiras da fachada do prédio

publicidade

Quem chega à Câmara Municipal de Caxias se depara com um prédio coberto de verde. Esse verde é composto por parreiras que, principalmente no Verão, oferecem a quem frequenta o prédio do poder legislativo municipal uvas doces e saborosas.

Nesta semana o presidente Velocino Uez/PTB, o 1° vice-presidente Elisandro Fiuza/Republicanos e a 1ª secretária Marisol Santos/PSDB colheram os primeiros frutos da atual safra.

O presidente Velocino é um dos grandes entusiastas do cultivo vitícola, sempre colaborando no cuidado das plantas, seja na hora da poda ou na colheita. “Essas parreiras já integram a identidade da nossa Câmara e a melhor parte é que os frutos podem ser servidos para a comunidade caxiense que vem até a Casa”, afirmou Uez.

Além do sabor da uva e da beleza ornamental, os parreirais da Câmara funcionam como um quebra-sol natural nos meses de verão. Já no inverno, a queda das folhas permite uma maior entrada dos raios solares, aquecendo os ambientes. A uva tem um valor simbólico para a cidade, em razão de o cultivo ter sido intensificado pelos imigrantes italianos.

O plantio de vinhedos no Parlamento caxiense foi idealizado pelo arquiteto João Alberto Marchioro, vencedor do concurso público realizado em 1983, para escolha do anteprojeto de arquitetura do prédio da Câmara.

Quem acha que as pessoas são os principais consumidores das frutas está enganado. Quem realmente tira proveito são os pássaros, sendo cerca de 80% consumido pelos animais. A expectativa é de que as parreiras produzam nessa safra mais de 500 quilos da uva variedade Isabel.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895