JTI anuncia investimento de R$ 126 milhões em Santa Cruz do Sul

JTI anuncia investimento de R$ 126 milhões em Santa Cruz do Sul

Valor será aplicado em ampliações e otimizações da operação de tabaco da indústria

Otto Tesche

Valor será aplicado em ampliações e otimizações da operação de tabaco da indústria

publicidade

A empresa Japan Tobacco International (JTI) anunciou nesta terça-feira, durante o evento Tá na Hora, promovido pela Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz do Sul com a participação do governador Eduardo Leite, o plano de investimentos de R$ 126 milhões no município até o final de 2023. O valor será aplicado em ampliações e otimizações da operação de tabaco da indústria. 

O líder da operação de tabaco da JTI no Brasil, Paulo Saath, disse que, para a empresa, o Brasil é um mercado com grande potencial de crescimento. “Grandes investimentos são contínuos, a começar pela chegada da primeira fábrica de cigarros da empresa na América do Sul em 2018. Àquela época investimos R$ 85 milhões. Atualmente, estamos finalizando a instalação do processo primário para manufatura de cigarros, um projeto orçado em R$ 75 milhões. E para a operação de tabaco em folha, temos planos de fortes investimentos nos próximos três anos”, afirmou Saath.  

Segundo o executivo, a entrega constante de volume e de qualidade de tabaco produzido junto aos 11 mil produtores integrados na região Sul faz com que a operação da JTI do Brasil seja uma das mais estratégicas para a expansão da empresa no mundo. Daí a confiança da multinacional japonesa em viabilizar o investimento. 

O governador Eduardo Leite agradeceu a confiança da empresa de promover esse investimento em Santa Cruz do Sul. “É uma expressão de confiança na economia do Estado. Vamos trabalhar para continuarmos merecedores da melhor análise para os investimentos da JTI em nosso Estado. A gente espera que essa confiança possa reverberar para outros empreendedores aqui do Rio Grande do Sul”, disse o governador.  

Após o evento da ACI, o governador e a comitiva que o acompanhou visitaram a fábrica de cigarros da JTI.  A unidade está finalizando a instalação do processo primário de manufatura de cigarros. Trata-se da etapa que converte as folhas dos diferentes tipos de tabaco (Virgínia, Burley e Oriental) em misturas de tabaco desfiado de acordo com receitas específicas para a posterior fabricação dos cigarros.  

A partir de agosto, quando a instalação estiver concluída, a JTI no Brasil será a única operação da empresa no mundo a ter todas as etapas da cadeia produtiva do tabaco; da pesquisa e inovação no campo às vendas e distribuição de cigarros no Brasil. “Encurtaremos a rota logística do tabaco produzido nos Estados do Sul. Hoje, depois de processado, ele é enviado para a fábrica da JTI na Alemanha, onde esse processo primário é realizado, e então volta para o Brasil para que a nossa fábrica inicie a manufatura do cigarro. Agora, parte do tabaco processado aqui em Santa Cruz do Sul continuará no município. Isso diminui custos de operação, prestigia o tabaco produzido em solo brasileiro, além de aumentar a nossa agilidade na resposta à demanda do mercado consumidor”, detalha Saath.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895