Maioria das prefeituras da Fronteira-Oeste adere à classificação de bandeira vermelha
capa

Maioria das prefeituras da Fronteira-Oeste adere à classificação de bandeira vermelha

CDL de Uruguaiana divulgou nota de indignação sobre a definição do governo do Estado em relação ao município

Por
Fred Marcovici

A CDL de Uruguaiana considera não haver razão para o comércio local voltar a fechar as portas


publicidade

Em cumprimento a determinação do Ministério Público Estadual, municípios da Fronteira-Oeste decidiram aderir à classificação de bandeira vermelha do Modelo de Distanciamento Controlado do Estado. O prefeito de Uruguaiana, Ronnie Mello, anunciou nesta quinta-feira que vai adotar as normas da classificação determinada no último sábado para a região. Ele reitera, porém, que a designação é injusta e penaliza um município que não tem internação nem óbito por Covid-19. Um novo decreto foi publicado com as medidas mais restritivas. Uruguaiana tem 64 casos confirmados, com 57 pacientes recuperados e nenhum óbito registrado. 

Outras prefeituras da Fronteira-Oeste também informaram que vão manter as determinações de bandeira vermelha, incluindo Alegrete, Itaqui, Barra do Quaraí e Maçambará. O Executivo de Santana do Livramento cumpre desde o primeiro momento o decreto estadual. Já a Prefeitura de São Gabriel pretende buscar meios judiciais visando à classificação do município na bandeira laranja. A administração de Quaraí defende manter-se também na bandeira laranja. 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Uruguaiana, João Saldanha, divulgou nota em que registra indignação diante da decisão do governo do Estado em manter a cidade na bandeira vermelha.

Confira a íntegra da nota: 

“Desde o princípio a CDL buscou dialogar com a gestão municipal, apoiando os protocolos implementados pela prefeitura em combate ao novo coronavírus. Recentemente houve o fechamento do comércio por 15 dias e, após, mais 15 dias, sob determinação do Governo Estadual. Mesmo com o impacto econômico, a CDL apoiou a decisão por entender que a prioridade no momento era de prevenção da vida da população. Com o anúncio realizado pelo Governo do Estado, no último sábado, Uruguaiana foi elevada à bandeira vermelha, em consideração a Macrorregião estabelecida pelo Comitê de dados Covid-19. Essa classificação atinge diretamente o setor do varejo, já que, conforme o regramento, fica determinado o fechamento do comércio considerado não essencial. Uruguaiana não possui óbitos registrados por Covid-19 e nem pacientes internados pela doença."

"A CDL considera não haver razão para o comércio local voltar a fechar as portas. A nota segue, dizendo que "as consequências dessa determinação são catastróficas, pois mesmo com o funcionamento autorizado e com restrições, o cenário da pandemia já registra considerável número de falências de empresas e crescimento vertiginoso de demissões, a situação terá um agravamento imensurável caso tenha que ocorrer a suspensão de atividades. Os trabalhadores querem saber se ao final do mês poderão receber seus salários integrais ou se terão seus contratos rescindidos.”