Mais de sete toneladas de carne apreendida são doadas a entidades assistenciais de Passo Fundo
capa

Mais de sete toneladas de carne apreendida são doadas a entidades assistenciais de Passo Fundo

Alimento era usada como meio de subterfúgio, visando ocultar drogas

Por
Agostinho Piovesan

Ato oficializou a doação da carne apreendida

publicidade

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Brigada Militar (BM), efetuou na manhã desta sexta-feira a doação de 7,5 toneladas de carne para a secretaria de Assistência Social (Semcas) de Passo Fundo. O coordenador da Draco, delegado Diogo Ferreira, disse que o alimento foi recolhido em uma ação da Polícia Rodoviária Federal na última terça. Na oportunidade, foram apreendidos dois caminhões e mais de 1,1 toneladas de maconha. Três pessoas presas.

Segundo a Polícia Civil, a carne foi utilizada como meio de subterfúgio, visando ocultar a droga. Foi representado ao Poder Judiciário pedido de doação de toda a carne a entidades beneficentes de Passo Fundo, pedido deferido pelo juiz Ricardo Petry, que substitui a 1ª Vara Criminal da Comarca local. Coube  À secretaria de Cidadania e Assistência Social (Semcas) o trabalho de distribuição da carne entre as entidades

O titular da Semcas, Wilson Lill disse que as 7,5 toneladas foram distribuídas entre 15 entidades filantrópicas e ONGs de Passo Fundo, além de 60 escolas municipais e entidades de assistência social, entre as quais, o albergue municipal. “Mais de 15 mil pessoas estão sendo beneficiadas com a doação, iniciativa muito positiva em razão do número de pessoas que são favorecidas”, afirmou.

O delegado Diogo Ferreira afirma que a doação é um importante fato, em razão de beneficiar muitas entidades sociais e filantrópicas do município e atingir milhares de pessoas carentes, onde a doação fará uma grande diferença. “Consideramos, ainda, que é mais um prejuízo financeiro para o crime organizado, tendo em vista que além de perder a droga e veículos, perderam a carga de carne que foi utilizada como meio de burlar as autoridades”, observa.