Manifestação contra corte de recursos na Educação bloqueia acesso ao campus da UFSM
capa

Manifestação contra corte de recursos na Educação bloqueia acesso ao campus da UFSM

Somente ambulâncias que precisam entrar no Hospital Universitário são liberadas

Por
Renato Oliveira

O acesso ao campus foi bloqueado

publicidade

Estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) iniciaram na manhã desta quarta-feira uma manifestação que tranca o acesso ao campus universitário. Carregando faixas, eles protestam contra o corte de 30% nos recursos para as faculdades e contra a Reforma da Previdência. 

O acesso de veículos só é permitido para as ambulâncias que precisam acessar o Hospital Universitário. Segundo o Diretório Central dos Estudantes, a manifestação deverá perdurar no local até o meio-dia. Diversas entidades também participarão de ato no Centro de Santa Maria. 

Mobilização nacional 

A manifestação em Santa Maria faz parte de uma mobilização convocada pela União Nacional dos Estudantes em resposta ao corte de orçamento das universidades e institutos federais de todo o país. Estão previstos atos em 13 capitais e em diversas cidades. Em São Paulo, a concentração será na avenida Paulista, em frente ao Masp (Museu de Arte de São Paulo) a partir das 15h.

Por meio de uma carta, os reitores da Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual Paulista (Unesp) criticam os cortes repentinos das bolsas para pesquisa e convocam a comunidade acadêmica a "debater problemas da educação e ciência" nesta quarta-feira.

Na carta, os reitores informam que “cerca de 95% da produção científica brasileira é feita em universidades públicas e por institutos de pesquisa, federais ou estaduais. Estas pesquisas produzem inovação e formam quadros de profissionais capazes de inovar e de desenvolver o País.”

Colégios de elite de São Paulo também vão aderir às manifestações. Equipe, Gracinha Waldorf Micael, Recreio e Politeia comunicaram os pais sobre a adesão ao protesto. Estudantes do Oswald de Andrade e do Santa Cruz também apoiam o movimento. O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) também convoca professores à paralisação.

Lista de atos 

Rio Grande do Sul:
Porto Alegre, FACED-UFRGS,18h
Caxias do Sul, Praça Dante Alighieri, 17:30h
Viamão, Centro de Viamão, 16h

Santa Catarina:
Florianópolis, Praça Central, 15h
Chapecó, Praça Coronel Bertaso

Paraná:
Curitiba, Praça Santos Andrade, 

São Paulo:
São Paulo, MASP, concentração a partir das 14h
Sorocaba, Pça Cel Fernando Prestes
São Carlos, Praça Coronel Salles
Campinas, Largo do Rosário

Minas Gerais:
Diamantina, Largo Dom João, 15h
Belo Horizonte, Praça da Estação, 15h
Montes Claros, Praça Dr. Carlos, 15h
Frutal, JB 2 do Calçadão do Centro, 15h

Rio de Janeiro:
Rio de Janeiro, Candelária, 15h
Petrópolis, Praça Dom Pedro, 17h.

Espírito Santo:
Vitória, UFES Campus Goiabera e Maruípe, 16h30.

Distrito Federal:
Brasília, Museu da República

Goiás:
Goiânia, Praça Universitária, 14h

Mato Grosso:
Cuiabá, Praça Alencastro, 14h
Rondonópolis, Praça Brasil – Centro

Mato Grosso do Sul:
Campo Grande, Gramado do Pontilhão, em frente a UFMS

Amapá:
Macapá, Praça da Bandeira, 15h

Amazonas:
Manaus, Entrada da UFAM
Manaus, Centro de Manaus, 15h;

Pará:
Belém, Praça INSS – ALEPA

Tocantins:
Palmas, Praça dos Girassóis

Acre:
Rio Branco, UFAC

Maranhão:
São Luis, Vivência da UFMA

Piauí:
Teresina, Em frente ao INSS

Alagoas:
Maceió, CEPA

Paraíba:
João Pessoa, Em frente ao Liceu Paraibano

Sergipe:
Aracaju, Centro de Aracaju, 14h;

Ceará:
Fortaleza, Praça da Bandeira

Pernambuco
Recife, Em frente ao GP da Aurora, 15h;

Bahia
Salvador, Campo Grande

*Com informações do site R7