Material de artilharia militar desembarca no Porto do Rio Grande
capa

Material de artilharia militar desembarca no Porto do Rio Grande

Viaturas e munições de origem americana devem abastecer unidade de Santa Maria

Por
Angélica Silveira

Viaturas e munições de origem americana devem abastecer unidade de Santa Maria

publicidade

Nem a chuva e o vento da manhã desta sexta-feira impediram que 31 viaturas blindadas de combate obuseiro Autopropulsado (VBCOAP) M109 — de fabricação norte-americana e modernizadas pela empresa BAE Systems — desembarcaram no Porto do Rio Grande, no Sul do Estado. Elas estavam junto com quatro viaturas guincho, dois containers de 40 pés e sete containers de vinte pés contendo equipamentos diversos, dentre eles municação.

Todo o material estava no navio Ocean Giant. A embarcação atracou na noite de quinta-feira no local após viagem desde o dia 26 de agosto do Porto de Baltimore, nos Estados Unidos. O desembarque envolveu 55 militares. Antes disto, os militares verificaram o equipamento dentro do navio. Após desembarcarem os contêineres e quatro veículos blindados do tipo viatura socorro, os blindados começaram a ser retirados do navio por guinchos e colocados em carretas. 

Cada Obuseiro pesa 25 toneladas e tem capacidade de engajar alvos até o alcance máximo de 30 quilômetros, realizando tiro indireto. A peça de artilharia possui sistema de navegação inercial, não precisando de GPS, capacidade de entrar e sair de posição mais rápido e cadência máxima de quatro tiros por minuto.

Oito carretas com excesso de carga lateral viajaram, acompanhadas de escoltas, por terra até Santa Maria com oito blindados. O restante do material e dos blindados ficou guardado no Porto para realizar as viagens que obedecem um cronograma. Serão realizadas mais cinco viagens, a última marcada para o próximo dia 17, para que todos os equipamentos cheguem até Santa Maria aonde será realizado o recebimento e testes no Parque Regional de Manutenção.

No final de novembro, 16 destes devem ser levados até o 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, com sede em Curitiba. O restante deve permanecer em Santa Maria, no 3º Grupo de Artilheiros de Campanha Autopropulsado. Para o General de Brigada, Comandante da Artilharia Divisionária da 3ª Divisão do Exército e responsável pelos quarteis de artilharia do Estado, Amadeu Martins Marto a aquisição destes equipamentos é uma modernização e até uma transformação para a artilharia do Exército Brasileiro “A vinda deste equipamento para cá é um planejamento de longa data, resultado de um acordo de Estado que é datado de até 20 anos. Há um estudo técnico de qual viatura blindada o país deve adquirir. Ver se é viável montar no país ou comprar o equipamento já pronto. Por fim é realizado um estudo do custo para manter as peças. De acordo com a cooperação é pago um valor com desconto”, explica Marto. 

Após a entrega de todo o material, os militares devem receber treinamento para a operação do material. As aulas devem ocorrer ainda neste mês. Para o dia 21 de novembro está marcada uma Campanha de tiro técnico, com o objetivo de verificar se o material se comparta bem. Depois, será verificado por meio de testes, se os blindados correspondem a requisitos operacionais. Conforme Marto, em princípio no dia 26 de novembro deverá ser entregue oficialmente do material para os representantes das duas unidades militares que vão utilizá-lo.

A aquisição deste material de emprego militar faz parte do Subprograma Estratégico- Sistema de Artilharia de Campanha, elevando a capacidade operacional  melhor a artilharia de campanha do exército.  “O projeto tem alguns anos e inclui os 60 blindados que já estão em Curitiba. São do mesmo modelo dos que desembarcaram nesta sexta-feira, apenas não são modernizados pela BAE Systems”, observa.