Morador de Uruguaiana evita o “tradicional” churrasco para comemorar aniversário de 106 anos

Morador de Uruguaiana evita o “tradicional” churrasco para comemorar aniversário de 106 anos

Pantaleão Barbosa cumpre o distanciamento social e lamenta não poder reunir a família

Fred Marcovici

Pantaleão avisa aos familiares cariocas que a festa será realizada, mesmo que fora da data

publicidade

A pandemia acertou em cheio a maior diversão do senhor Pantaleão Barbosa, que espera o ano inteiro para comemorar seu aniversário. Nesta segunda-feira, Pantaleão completou 106 anos de idade com lucidez invejável. O sapateiro e funcionário público aposentado, de memória privilegiada, que por décadas cuidou da praça Barão do Rio Branco, a principal de Uruguaiana, lamenta não poder reunir a família e amigos para o tradicional churrasco de 27 de julho, por estar cumprindo o distanciamento social.

Ele, por hábito, sempre escolhe a carne, prepara todos os detalhes do churrasco e está pronta a grande celebração anual do homem que acredita que a Covid-19 vai passar para ele e para todos, bastando paciência e zelo.

Hoje viúvo, não se esquece de dona Odila, companheira da vida inteira. Conta detalhes da festa do matrimônio, o que lhe dá muito prazer, como se fosse ontem. Para o colorado, "Graças a Deus” segundo ele, a vida parece mesmo uma festa, essas são sempre as lembranças mais presentes.

A neta, Vera Barbosa, quituteira de mão cheia, lembrou que Pantaleão, pai de seis filhos, parece um arquivo da história da cidade. Sempre exaltando o lado bom de todos os momentos.

No ritual natalício, nas primeiras horas, liga para os familiares que moram no Rio de Janeiro e conta como estão as coisas pela Fronteira. E nas entrelinhas deixa claro aos cariocas: "passando o coronavírus a festa vai sair, mesmo fora da data", concluiu.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895