MP denuncia dez pessoas por abate e comércio ilegal de carne de cavalo em Caxias do Sul

MP denuncia dez pessoas por abate e comércio ilegal de carne de cavalo em Caxias do Sul

Segundo promotor de Justiça, amostras do alimento continham microorganismos nocivos à saúde, além de DNA de cavalo em todas as coletas analisadas

Celso Sgorla

Todas amostras de carne analisadas continham DNA de cavalo

publicidade

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) denunciou criminalmente à Justiça, na tarde desta quarta-feira, oito pessoas por integrarem organização criminosa e adulteração ou alteração de produto alimentício destinado ao consumo, tornando-o nocivo à saúde, e crime contra as relações de consumo. Outras duas pessoas foram denunciadas por crime contra relações de consumo.

A denúncia é resultado de investigação que culminou com a operação Hipo, realizada em Caxias do Sul na última quinta-feira, 18 de novembro, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Segurança Alimentar, na qual seis pessoas foram presas. Dois dos presos, na presença dos advogados, confessaram os crimes ao promotor durante as oitivas realizadas nesta semana.

Conforme o promotor de Justiça, Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, coordenador do Gaeco – Seguranca Alimentar, que esteve à frente da operação e assina a denúncia, além dos seis presos, dois participavam do esquema, porém com uma importância menor na organização, e os outros dois são os proprietários das duas hamburguerias, onde foi detectado DNA de cavalo em análises realizadas nos lanches, confirmando a fraude.

“Após a operação, também foi confirmada a presença de microorganismos nocivos à saúde humana nas amostras de carne apreendidas na última quinta-feira, 18, além de DNA de cavalo em todas as amostras. Alguns hambúrgueres eram 100% carne de cavalo”, conta.

O promotor de Justiça ressalta, por fim, que os demais estabelecimentos de Caxias do Sul suspeitos de terem comercializado as carnes de cavalo seguirão sendo investigados pelo MPRS.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895