Mudança na bandeira para cidades da Serra gera protesto em Canela

Mudança na bandeira para cidades da Serra gera protesto em Canela

Reunião de prefeitos será realizada nesta segunda em Gramado

Por
Halder Ramos

Mudança na bandeira para cidades da Serra gera protesto em Canela


publicidade

A insatisfação pela mudança de coloração da bandeira para a microrregião de Caxias do Sul também se fez presente em Gramado e Canela, cidades também atingidas pela decisão do governo do Rio Grande do Sul, que, conforme o sistema de Distanciamento Controlado, determinou que a área passasse a ter a bandeira vermelha, ou seja, mais restrições nas atividades dos municípios durante a pandemia do novo coronavírus. A nova avaliação provocou protestos na manhã deste domingo e o agendamento de uma reunião da Associação do Municípios da Serra (Amserra). 

Hoje, um grupo de mais de 100 pessoas protestou em frente à Palácio das Hortênsias, localizado em Canela. Os manifestantes tinham a informação de que Leite estava na residência oficial do governo estadual na Serra gaúcha. O grupo cantou os hinos do Rio Grande do Sul e do Brasil e partiu em carreata até Gramado.

O novo enquadramento da microrregião desagradou autoridades e o trade turístico da região. Os prefeitos da Amserra farão reunião extraordinária, nesta segunda, às 10h30, na prefeitura de Gramado, para buscar meios de retornar a bandeira laranja.

Prejudicial 

O presidente do SinTur Serra Gaúcha, Mauro Salles, destaca que a troca de bandeira é extremamente prejudicial para o setor turístico da região. “Se parar o turismo, para tudo. Nossa região depende 90% do turismo. É uma condição imposta pela situação de Caxias do Sul e Bento Gonçalves. Nossos indicadores estão bem abaixo da média da região em que estamos inseridos. Estamos com a situação de saúde sob controle e tentando retomar a economia com segurança”, lamenta Salles.

Conforme o presidente, a região das Hortênsias está unida na busca pela alteração da bandeira. Salles observa que o feriadão foi o de melhor movimentação desde a reabertura da hotelaria. “O feriado de Corpus Christi combinado com o apelo do Dia dos Namorados contribuiu para a boa ocupação. Tivemos problemas de aglomerações, mas de modo geral foi controlado”, acredita.  

O SindTur tinha estimativa prévia de alcançar média de 60% da taxa de ocupação permitida, que é de 70% do máximo em Gramado e de 50% da capacidade nas outras cidades da região. “Não temos os dados fechados, mas a pesquisa prévia indicava 60% da taxa de ocupação permitida. Alguns hotéis atingiram mais do que a média, mas outros ficaram bem abaixo”, diz Salles.


O prefeito de Gramado, João Alfredo Bertolucci, lamenta a decisão da Secretaria Estadual da Saúde. Ele entende que o município não pode ser penalizado por uma situação regional, para a qual não tem contribuído. “Lamentamos e não consideramos justa esta classificação já que Gramado não contribuiu para isso. Pelo contrário, estamos tomando todas as medidas necessárias para o controle da pandemia. Infelizmente, a flexibilização do funcionamento das atividades econômicas que estamos adotando foi revogada pela nova norma do Estado”, observa Bertolucci.