Novo Hamburgo tem blitz para fiscalizar o cumprimento do decreto municipal neste final de semana

Novo Hamburgo tem blitz para fiscalizar o cumprimento do decreto municipal neste final de semana

De sexta-feira até a madrugada do domingo, foram 12 notificações em 56 estabelecimentos vistoriados

Stephany Sander

A força-tarefa contou com o apoio da Guarda Municipal

publicidade

A Central de Fiscalização da Prefeitura de Novo Hamburgo, realizou novas blitze neste final de semana, com o objetivo de coibir ações de aglomeração e que vão contra as medidas de combate ao coronavírus, previstas no decreto municipal.

A força-tarefa contou com o apoio da Guarda Municipal e, de sexta-feira até a madrugada do domingo, totalizou 12 notificações em 56 estabelecimentos vistoriados, entre comércio, bares, academias e ginásios. Desta vez, a partir de denúncias recebidas anteriormente, as abordagens ocorreram em bares dos bairros Roselândia, Canudos, São Jorge e Vila Rosa.

“Foi um fim de semana de intenso trabalho. Além das noites de sexta-feira e sábado, aproveitamos a manhã de sábado para vistoriar o comércio e academias”, explica o coordenador da Central de Fiscalização e secretário municipal de Meio Ambiente, Udo Sarlet. Ainda segundo ele, no sábado, foram abordados estabelecimentos na região central pelas ruas Pedro Adams, Bento Gonçalves, Lima e Silva, Joaquim Nabuco, além de estabelecimentos de bairros como Jardim Mauá, Hamburgo Velho, Pátria Nova e Ideal. “A presença de guardas torna toda a ação mais fácil. É importante destacar que não houve confrontos ou discussões. Pelo contrário, os proprietários foram muito colaborativos”, acrescenta Udo.

Novo Hamburgo segue com o modelo de distanciamento controlado do Governo do Estado, que institui a bandeira vermelha para o município. O decreto municipal que manteve a declaração de estado de calamidade pública determina que, aqueles estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços autorizados a funcionar, permaneçam fechados entre as 21h e 6h. Denúncias podem ser feitas pelo WhatsApp (51) 99880-1095.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895