Parque inclusivo está disponível para visitação em Pelotas, no Sul do Estado
capa

Parque inclusivo está disponível para visitação em Pelotas, no Sul do Estado

Área possui cerca de 2 mil metros quadrados

Por
Angélica Silveira

Em Pelotas, aproximadamente 27% da população declara possuir algum tipo de deficiência

publicidade

Um parque inclusivo foi instalado junto ao Campus CAVG do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense (IFSUL), em Pelotas. A iniciativa faz parte do projeto Anna Laura Parques para Todos (ALPAPATO). A área é inclusiva e de lazer voltada a pessoas com deficiência, especialmente crianças e pré-adolescentes de até 13 anos. Com quase 2 mil metros quadrados, será utilizado por escolas especiais do município.

Coordenador do Núcleo de Apoio a Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE), Raymundo Carlos Machado Ferreira Filho conta que foram firmadas parcerias com instituições que levam os estudantes para o local. “Todos os equipamentos servem para brincar e para a realização de terapias diversas ao ar livre, sejam elas físicas ou cognitivas”, explica.

Entre os equipamentos há balanço e escorregador para cadeirantes, flor falante que funciona como uma espécie de telefone sem fio e caleidoscópio. “O parque chegou aqui por indicação do engenheiro paulista Frederico Viebig, que veio duas vezes palestrar em Pelotas em um evento que realizamos todos os anos e também é conselheiro da Associação Anna Laura que instala os parques pelo país”, explicou.

A ONG Anna Laura é presidida por Rodolfo e Cláudia Fischer, que perderam a filha de 4 anos em um acidente de carro em 2012. Em uma viagem a Jerusalém, eles viram um parque com equipamentos acessíveis e decidiram implantar a iniciativa no Brasil por meio da doação de parques. “O Frederico é conselheiro da ONG e em 2015 ele disse que teríamos condições de receber o parque e tínhamos condições de ampliar o atendimento, pois temos parcerias com todas as instituições que tratam de pessoas com deficiência da cidade. Somos a nona cidade do país a receber o parque Anna Laura”, relata.

Em Pelotas, cerca de 90 mil pessoas declararam possuir algum tipo de deficiência. São 20 mil deficientes visuais e 20 mil deficientes auditivos. No parque foi instalada uma placa tátil com identificação dos equipamentos, piso anti-impacto e acessibilidade universal. “Temos pouco mais de dez equipamentos desenvolvidos para que seja possível brincar com segurança e realizar terapia ao mesmo tempo, além de socializar”, observa.

O parque funciona dentro da rotina do campus, ou seja, de segunda a sexta-feira. Aqueles que quiserem acessar o local e não têm vínculo com nenhuma instituição voltada a pessoas com deficiência podem entrar em contato com o NAPNE pelo e-mail napne@cavg.ifsul.edu.br ou pelo telefone (53) 3309-5550 e solicitar o Núcleo.