Piratini nega recursos e mantém 16 regiões em bandeira vermelha

Piratini nega recursos e mantém 16 regiões em bandeira vermelha

Na 41ª rodada do Distanciamento Controlado, apenas cinco regiões estão em bandeira laranja

Correio do Povo

Porto Alegre segue em bandeira vermelha

publicidade

O Governo do Estado voltou a negar os recursos recebidos e confirmou 16 regiões na bandeira vermelha para esta semana no plano de Distanciamento Controlado. As demais cinco ficarão na bandeira laranja, de risco médio para infecção com o coronavírus. Para a 41ª rodada do plano, que começa a vigorar oficialmente à 0h desta terça, três regiões haviam apresentado questionamentos ao mapa prévio

Nesta semana, Porto Alegre, Canoas, Capão da Canoa, Cruz Alta, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santo Ângelo, Taquara, Cachoeira do Sul, Erechim, Guaíba, Lajeado e Uruguaiana foram consideradas como áreas de alto risco de contaminação com o coronavírus. Já as regiões em bandeira laranja nessa rodada são Bagé, Caxias do Sul, Pelotas, Ijuí e Santa Rosa. 

O gabinete de crise do Estado alertou para o reforço nos protocolos de prevenção à Covid-19 em meio ao carnaval, em face ao rápido aumento na ocupação de leitos clínicos nesta semana, de 902 para 1.112. Esta demanda poderá vir a sobrecarregar os leitos de UTI nos próximos dias. 

Desde o início da pandemia, 11 meses atrás, o Rio Grande do Sul já computou 586,3 mil casos de Covid-19 e teve ao menos 11.387 óbitos relacionados ao coronavírus. Nesta quarta-feira, com tendência de alta ao longo da última semana, a taxa de ocupação de UTI no RS estava em 79,1%. 

Regra 0 a 0

O mapa definitivo da 41ª rodada traz 378 municípios (do total de 497) em bandeira vermelha, somando 8,6 milhões de habitantes, o que corresponde a 76% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes).

Desses, 164 municípios (703,8 mil habitantes, 6,2% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895