Prefeito de Gramado vê flexibilizações do governo do RS como insuficientes

Prefeito de Gramado vê flexibilizações do governo do RS como insuficientes

Nestor Tissot lamentou que governador Eduardo Leite não tenha atendido as demandas do setor turístico

Halder Ramos

Conforme o prefeito, faltou sensibilidade do Estado com o setor turístico

publicidade

O anúncio das medidas de flexibilização no Plano Estadual de Distanciamento Controlado frustrou autoridades e o setor turístico da Região das Hortênsias. O prefeito de Gramado, Nestor Tissot, lamentou que o governador Eduardo Leite não tenha atendido as demandas feitas por empresários da região.

Tissot e empresários locais participaram de reunião em Porto Alegre com autoridades estaduais na última terça-feira. Além de dados com estimativas de perdas para o setor turístico, a comitiva apresentou o que considera o mínimo do teto de ocupação das atividades econômicas para garantir a sobrevivência das empresas. “No desespero para continuar sobrevivendo, nossas empresas ofertaram funcionários para ajudar na fiscalização do cumprimento das regras e protocolos”, diz.

O prefeito reclama, especialmente, da impossibilidade de reabertura dos parques cobertos e das restrições impostas aos estabelecimentos gastronômicos nos finais de semana. Nos sábados, domingos e feriados, os restaurantes podem receber clientes presencialmente das 5h às 15h, com restrições. O setor pleiteava a abertura no turno da noite. “O governador parece desconsiderar os pedidos feitos por Gramado e outras cidades turísticas”, lamenta o prefeito.

Conforme o prefeito, faltou sensibilidade do Estado com o setor turístico. Para Tissot, o governador não levou em consideração nenhum dos apelos feitos pela região. “Precisamos de sensibilidade para reabrir os parques cobertos. Temos vários parques e museus que não poderão funcionar. Logo teremos demissões em massa no setor. Além da questão da saúde, estamos preocupados com a questão do desemprego. Todos os nossos esforços estão concentrados na saúde e na economia”, conclui.

O prefeito de Gramado deve editar um novo decreto após a publicação do decreto estadual. O prefeito de Canela, Constantino Orsolin, anunciou que vai seguir as determinações do decreto estadual. Para Orsolin, as medidas não atenderam às expectativas regionais em sua totalidade, mas contribuem para o fomento da economia. “O anseio dos restaurantes era abrir aos finais de semana até as 22h, como ocorre nos dias de semana. Agora, esperamos que todos se unam para fiscalizar e atender os protocolos”, diz.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895