Prefeito de Uruguaiana considera injusta mudança de bandeira na cidade

Prefeito de Uruguaiana considera injusta mudança de bandeira na cidade

Município passou ser uma área com coloração vermelha, o que aumenta restrições no combate ao novo coronavírus

Por
Fred Marcovici

Prefeito de Uruguaiana considera injusta mudança de bandeira na cidade


publicidade

Logo após o anúncio do governo do Rio Grande do Sul que determinou a classificação de Uruguaiana como sendo uma área de bandeira vermelha, avaliação que vem do sistema de Distanciamento Controlado do governo do Estado, um sentimento de descontentamento foi externado pelo prefeito Ronnie Mello. Ele vê a análise como injusta e garante que a cidade está trabalhando bem no combate ao novo coronavírus. No início da noite deste domingo, o prefeito determinou a manutenção da bandeira laranja em Uruguaiana. 

"Uruguaiana vem trabalhando incansavelmente na prevenção e os números demonstram o nosso empenho. Não  temos óbitos e nem paciente com Covid-19 hospitalizado na Santa Casa de Caridade de nossa cidade. Além disso, já fizemos pelo menos 3.416 testes. Neste domingo estarei reunido com equipes das secretarias de Saúde e Administração para tratarmos do assunto."

Comerciantes e vereadores se juntaram ao discurso de Mello e demonstraram insatisfação com a decisão do governo gaúcho, entre eles Zulma Ancinello e Mano Gás, ambos do PRB. 

O presidente do Sindilojas de Uruguaiana, Read Barakat, salientou que a decisão do Estado pegou de surpresa os comerciantes do município. "Fizemos nosso dever de casa ao respeitarmos todos os cuidados determinados pela legislação vigente, com higienização, álcool em gel, número de funcionários e distanciamento social mantido, e estamos sendo penalizados", avaliou. Read acrescentou que um manifesto foi elaborado para ser enviado à prefeitura, à Câmara de Vereadores e ao governador Eduardo Leite.  Paralelamente, circula um abaixo-assinado entre empresários de diversos segmentos para ser anexado ao documento. 

Uruguaiana tem 61 casos, sendo que 46 foram considerados recuperados. O restante está em isolamento domiciliar monitorado. A UTI adulto convencional tem 87,5% de ocupação com as mais diversas doenças e 50% dos respiradores existentes estão sendo utilizados no local. Já a UTI Covid e a Enfermaria destinada aos casos de coronavírus, não possuem nenhum paciente internado.