Prefeito de Viamão morre por Covid-19

Prefeito de Viamão morre por Covid-19

Valdir Jorge Elias, o Russinho, estava internado desde o dia 15 de julho

Fernanda Bassôa

Russinho tinha 66 anos

publicidade

O prefeito em exercício de Viamão, Valdir Jorge Elias (MDB), o Russinho, de 66 anos, morreu nesta quarta após complicações decorrentes da Covid-19. Ele estava internado no Hospital de Viamão desde o dia 15 de julho, depois de testar positivo para a doença. O político teve parada cardíaca durante a madrugada e, diante da gravidade do quadro, precisou ser entubado por volta das 5h da madrugada. Entretanto, não resistiu.

O diretor técnico do hospital, doutor João Almir, informou que Russinho deu entrada apresentando sintomas de febre e problemas respiratórios. O estado de saúde permaneceu estável durante os sete dias de internação, mas nas últimas 48 horas se agravou. 

Russinho – que assumiu em 12 de fevereiro, após o titular do cargo, André Nunes Pacheco (sem partido), ser afastado por suspeita de envolvimento em um esquema de fraudes – foi a 45ª vítima fatal do coronavírus na cidade. O último boletim divulgado pela prefeitura, através de dados fornecidos pelo governo do Estado, registrava 481 casos confirmados de Covid-19 e 93 recuperados.

Na pagina do Facebook do prefeito, familiares se manifestaram com muito pesar e tristeza. "Agradecemos imensamente as orações e pelo grande homem que foi, temos a certeza de que estará descansando ao lado de Deus. Sentiremos saudades, do pai, marido, avô e amigo de todos. Não há palavras para descrever o quão importante foi na vida de todos nós. A cidade perde um grande político e a nossa família  perde um Grande exemplo de homem."

Em nota, a prefeitura lamentou o falecimento do prefeito e decretou luto oficial de três dias. O atendimento será retomado somente na segunda.

NOTA DE FALECIMENTO A Prefeitura de Viamão comunica, com extremo pesar, o falecimento do prefeito Valdir Jorge Elias, o...

Publicado por Prefeitura de Viamão em Quarta-feira, 22 de julho de 2020

 

Com a notícia do falecimento, prefeitos da região fizeram postagens de pesar e carinho nas redes sociais. A presidente do Consórcio dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal) e prefeita de Nova Santa Rita, Margarete Ferretti, lamentou a morte de Russinho e salientou que é uma grande perda para política gaúcha. “Russinho foi um homem público extremamente qualificado, correto, de diálogo e dono de uma simplicidade incomum. Dedicou sua vida a Viamão e aos mais necessitados, fosse na condição de vereador, de secretário municipal, de vice-prefeito e agora de prefeito. A boa política perde, o Rio Grande perde com a sua partida. A Granpal se solidariza com a família enlutada, com os amigos e com os cidadãos de Viamão."

A Câmara de Vereadores de Viamão, através de nota, lamentou a perda e assim prestou homenagem: “Conhecido pelo seu jeito simples, Russinho sempre militou pela causa dos mais necessitados, mesmo antes de se tornar vereador. O seu irmão Miguel Elias também ocupou uma cadeira na Câmara de Vereadores por três mandatos. Ambos sempre tiveram sua maioria de votos na Região das Augustas.” 

O presidente do MDB-RS, Alceu Moreira, lembrou em nota oficial momentos marcantes em que estiveram juntos. "Lamento profundamente a perda do amigo Russinho. Companheiro de longa data, de longas caminhadas que fizemos juntos, um operário partidário, exemplo de militante. Fará muita falta, vai deixar um grande vazio para família, amigos e comunidade de Viamão", afirmou. 

Trajetória 

Valdir Jorge Elias nasceu em Porto Alegre, em 1954. Com 12 anos, ele se mudou com a família para Viamão onde construiu sua carreira política. Ele era casado, pai de seis filhos e tem quatro netos.

Russinho assumiu três mandatos como vereador (1988, 2008 e 2012). Em 2010, foi presidente do Legislativo viamonense. Entre 2013 e 2015 foi Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos. Em 2017, concorreu a vice-prefeito de Viamão, ao lado do prefeito André Pacheco. Em fevereiro de 2020, assumiu como prefeito em exercício de Viamão. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895