Prefeitos do Vale do Rio Pardo decidem implementar lockdown regional

Prefeitos do Vale do Rio Pardo decidem implementar lockdown regional

Medida será colocada em prática neste fim de semana e cada município definirá regras e horários

Otto Tesche

publicidade

Os prefeitos do Vale do Rio Pardo decidiram implementar lockdown regional neste fim de semana. A medida ocorre diante do expressivo avanço da pandemia de Covid-19 no Rio Grande do Sul e da taxa de ocupação de 120% dos leitos de UTI Covid nos hospitais da região. O assunto vinha sendo tratado entre os gestores nos últimos dias e a confirmação ocorreu nesta quinta-feira.

Cada município deve definir, em decreto próprio, qual o período do lockdown e quais as restrições de acordo com suas particularidades. A nota emitida pela Amvarp e assinada pelo presidente e prefeito de Vale do Sol, Maiquel Silva, informa que o objetivo do lockdown é impedir a circulação de pessoas sem necessidade e diminuir a transmissão do coronavírus. “Os órgãos de segurança municipais e estaduais estarão autorizados a abordar os cidadãos que estiverem na rua descumprindo as regras.”

O lockdown já foi adotado no fim de semana passado por Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Vera Cruz e Boqueirão do Leão. “A Amvarp reforça o apelo à comunidade para que se mantenha atenta às normas de proteção e isolamento. Confiamos na força e na fé da população do Vale do Rio Pardo para, juntos, vencermos mais este desafio”, diz a nota da entidade regional.

O prefeito de Venâncio Aires, Jarbas da Rosa, que defendeu a adoção da medida em nível regional na semana passada, realizou reunião virtual na última terça-feira com o prefeito de Vale Verde, Carlos Gustavo Schuch, a secretária da Saúde Jucimar Dutra, o secretário de Administração, Everton Miritz Jeske, e o médico do Hospital São Sebastião Mártir, Guilherme Furst, entre outros representantes da microrregião. O encontro serviu de alerta aos municípios sobre a realidade dramática pela qual passa o setor da saúde local. 

Segundo Jarbas, não há mais pontos disponíveis de oxigênio na UPA e no São Sebastião Mártir, em Venâncio Aires. Com isso, os municípios que tem a casa de saúde como referência devem buscar formas para tentar amenizar a situação localmente.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895