Prefeitura de Canela declara situação de emergência devido à estiagem

Prefeitura de Canela declara situação de emergência devido à estiagem

Escassez de chuvas causa prejuízos na produção agrícola e problemas no abastecimento aos moradores

Halder Ramos

publicidade

A Prefeitura de Canela encaminhou decreto ao governo estadual que declara situação de emergência na área rural em função da estiagem. Com a baixa precipitação de chuvas, a produção agrícola na zona rural está comprometida resultando em graves prejuízos econômicos aos agricultores canelenses. 

O secretário de Obras, Serviços Urbanos e Agricultura, Luiz Cláudio da Silva, alerta que dezenas de famílias estão sofrendo com a escassez de água potável no interior para o próprio consumo devido à estiagem. Entre os trabalhos executados pelo Departamento de Agricultura da prefeitura, está a perfuração de fontes artificiais de água para os animais em algumas propriedades rurais. A Secretaria de Obras também dá continuidade à implantação de uma rede que beneficiará 27 propriedades na localidade Bugres.

O secretário explica que o documento municipal busca facilitar as ações de assistência à população afetada. “Caso seja homologado pelo Estado, o decreto poderá auxiliar os produtores rurais na busca por novas linhas de crédito, seguros e até mesmo para a renegociação de empréstimos bancários. Já o município poderá buscar recursos para realizar mais ações, como a perfuração de poços artesianos no interior”, analisa Luiz Cláudio.

Conforme o secretário, a seca já provocou perdas nas produções de milho, maçã e leite. Um caminhão-pipa fornece água para as localidades mais atingidas. “Está complicado para atender todas as famílias. Não estamos conseguindo dar a volta. Temos que buscar soluções para hoje e para o futuro porque não sabemos quanto tempo a estiagem vai durar”, alerta.

Já em Gramado, a prefeitura está solicitando à Corsan o reforço de caminhões-pipa para o abastecimento de água na zona rural. O prefeito Fedoca Bertolucci vai entregar a solicitação ao presidente da companhia. Atualmente, a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos executa o abastecimento no interior com dois caminhões-pipa, um com capacidade de 7 mil litros e outro de 11 mil. Em abril, foram atendidas 129 famílias (cerca de 600 pessoas) em 19 localidades, somando mais de 1,2 milhão de litros. Em janeiro, foram 70 famílias atendidas e 600 mil litros fornecidos. No entanto, os veículos da prefeitura não têm conseguido suprir a demanda.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895