Prefeitura de Santa Maria encaminha novas ações para áreas de risco

Prefeitura de Santa Maria encaminha novas ações para áreas de risco

Uma das definições é a integração entre o mapa das áreas de risco com o mapa das áreas que estão passando ou precisam passar por processo de regularização fundiária

Agostinho Piovesan

O Instituto de Planejamento e a Defesa Civil no município mapearam 81 áreas de risco

publicidade

A Administração Municipal de Santa Maria informou que equipes de diversas secretarias e outros servidores do município discutiram soluções às 81 áreas de risco mapeadas pelo Instituto de Planejamento (Iplan) e pela Defesa Civil no município de 285 mil habitantes, na região Central do Estado.

Durante encontro, cada pasta do Executivo Municipal expôs as providências que já tomou em relação a cada um dos locais. Ao mesmo tempo, de forma integrada, os agentes públicos conversaram sobre novas ações que serão definidas e postas em práticas daqui para frente.

O chefe do gabinete da prefeitura, Alexandre Lima, disse que Petrópolis, no Rio de Janeiro, alertou o Brasil inteiro, pois as autoridades lá achavam que um desastre como aquele não voltaria a ocorrer. “Temos a estiagem atualmente, mas uma hora a chuva vai vir e temos de aproveitar esse baita trabalho que foi feito pelo Iplan e pela Defesa Civil para haver convergência e encaminharmos novas ações”, disse. Ele lembra que diariamente são realizadas ações de desassoreamentos, limpeza de bueiros, obras de drenagem pluvial, como no bairro Tomazetti, que é um ponto crítico, entre tantos outros serviços.

Ficou estabelecido que a partir de agora, as secretarias irão atualizar a situação de cada um dos pontos, agregando informações sobre o que já foi feito pela prefeitura e o que ainda deve ser feito para solucionar o problema. A maioria dos locais precisa somente de limpeza nos bueiros, por exemplo, trabalho que está inserido no cronograma diário de trabalhos da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos.

Segundo Administração Municipal, outras regiões, mais próximas de morros, apresentam demandas ligadas à Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária. Por conta disso, uma das definições da reunião foi a integração entre o mapa das áreas de risco com o mapa das áreas que estão passando ou precisam passar por processo de regularização fundiária, que também foi elaborado pelo Iplan.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895