Prefeitura de Santa Maria reforça cuidados sanitários durante o Carnaval

Prefeitura de Santa Maria reforça cuidados sanitários durante o Carnaval

A administração municipal lembra da importância da população manter os cuidados sanitários durante as comemorações

Agostinho Piovesan

Ações foram definidas em reunião, visando evitar a disseminação do Covid-19

publicidade

O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) de Santa Maria anunciou que, entre os dias 24 de fevereiro e 3 de março, será reforçada a fiscalização visando evitar a disseminação do coronavírus durante o período de festas do Carnaval. Uma reunião no Ciosp, deliberou sobre atuação da força-tarefa de fiscalização durante o feriadão. A administração municipal lembra da importância da população manter os cuidados sanitários durante as comemorações.

Formada por servidores da Guarda Municipal, da Coordenadoria de Trânsito e Mobilidade Urbana, da Vigilância em Saúde, da Secretaria de Licenciamento e Desburocratização e da Brigada Militar, a força-tarefa atuará na fiscalização do uso correto da máscara de proteção, da disponibilidade de álcool em gel e nos demais protocolos de higienização, bem como a cobrança do passaporte vacinal e a verificação do distanciamento interpessoal.

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde do município, Alexandre Streb, é importante que os cidadãos colaborem com o poder público, seguindo as orientações como priorizar comemorações ao ar livre ou em locais que cumpram as regras básicas vigentes na pandemia, a fim de evitar contaminações de Covid-19. “É preciso que a população atente para os protocolos mínimos que ainda são exigidos, sendo muito importante que as pessoas deem prioridade para locais ao ar livre e para estabelecimentos que têm cumprido as regras sanitárias”, observa.

Streb lembra, ainda, que a população deve buscar o fechamento do ciclo vacinal, com a segunda dose e a dose de reforço. “Desta forma, todos conseguirão aproveitar o Carnaval de maneira segura”, disse. Ele informou que o comprovante de vacinação, também chamado de “passaporte vacinal”, é exigido para ingresso e permanência em espaços de uso coletivo, em atividades de maior potencial de aglomeração, como eventos de entretenimento em casas de festas, boates, bares ou restaurantes e em ambientes abertos com controle de acesso. Assim como já é feito diariamente pelos fiscais, a lotação dos estabelecimentos também será observada, conforme o permitido pelo Plano de Proteção Contra Incêndio (PPCI) de cada local.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895