Prefeitura questiona qualidade da água em Estância Velha
capa

Prefeitura questiona qualidade da água em Estância Velha

Município prepara Ação Civil Pública para encaminhar ao Ministério Público

Por
Stephany Sander

publicidade

A Prefeitura de Estância Velha finaliza a Ação Civil Pública que será encaminhada ao Ministério Público cobrando recursos legais para indenizações, além de exigências por melhorias no abastecimento prestado pela Corsan. Na semana passada, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Preservação Ecológica recebeu o resultado da análise das cinco coletas de água feitas na cidade. Segundo o município, foram avaliados os parâmetros de cloro residual livre, coliformes totais e contagem de bactérias, cor, quantidade de ferro e manganês, além do PH, sólidos dissolvidos e turbidez.

Conforme os laudos, os resultados apresentaram alterações acima do normal, como preconizado na Portaria 2.914/2011, do Ministério da Saúde, apontando que a água coletada não estava própria para consumo. Foi então feita nova coleta nos mesmos endereços, encaminhada para uma segunda análise. Os novos resultados devem ficar prontos até a próxima semana e serão anexados à ação. O mesmo relatório será encaminhado à Vigilância Ambiental e à Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS, que monitora a situação. Desde 18 de dezembro, moradores dos bairros Nova Estância, União, Floresta, Sol Nascente e Loteamento Ilhéus têm observado uma coloração escura e forte odor na água. Segundo o diretor de Operações da Corsan, Eduardo Carvalho, a situação teve início por conta de melhorias na rede de Campo Bom, que abastece também Estância Velha, aliadas à falta de energia que gerou desabastecimento e fez com que alguns materiais da tubulação acabassem passando para a água.

Em nota, a companhia informou que os procedimentos operacionais, além das análises realizadas a cada hora na estação de tratamento, contam com coletas mensais em diferentes pontos da rede de distribuição. A presença de coliformes totais na amostra de água tratada, segundo a Corsan, não atesta que esteja imprópria para consumo. O indicador neste caso é a presença de Escherichia coli, e a análise apresentou resultados negativos para esta bactéria. "Em relação à água distribuída, foram realizadas análises de coliformes totais e Escherichia coli na água tratada pela estação de Campo Bom nos dias 6, 11, 13, 17, 20, 21, 24 e 27 de dezembro de 2018. As amostras apresentaram resultados negativos para ambos os parâmetros." Para monitoramento da qualidade da água, foram feitas, conforme a Corsan, análises na rede de distribuição em 48 pontos no mês de dezembro em Estância Velha. "Nenhuma das amostras analisadas apresentou positividade para coliformes totais ou Escherichia coli”.