Produtores rurais de Pelotas se preparam para ciclone que irá atingir o RS

Produtores rurais de Pelotas se preparam para ciclone que irá atingir o RS

Principal preocupação é com a produção de morango e hortaliças, segundo extensionista da Emater

Angélica Silveira

Em Pelotas existem mais de 300 estufas, entre morango e hortaliças, feitas com filmes plásticos

publicidade

Os produtores rurais de Pelotas estão preocupados com o ciclone que pode atingir o Rio Grande do Sul. O extensionista da Emater no município, Rodrigo Prestes, diz que a principal preocupação é com a produção de morango e hortaliças. “A questão são as estufas, com filmes plásticos que os produtores fecham com cortinas. Tem que reforçar para aguentar o vento”, diz.

Ele conta que trabalha com grupos de produtores pelo WhatsApp e que lá são colocados os avisos das condições climáticas. “Procuramos informar os produtores sobre o vento de mais de 100km/h que está previsto. O estrago é bem provável, caso se confirme”, observa.

Em Pelotas existem mais de 300 estufas, entre morango e hortaliças, feitas com filmes plásticos, transparentes, que possuem um custo elevado. “Dependendo do vento, às vezes danifica até mesmo estruturas metálicas”, diz Prestes.

Daniel Neitzke produz morango há 15 anos, em meio hectare no interior de Pelotas. Ele diz que não há o que fazer nos casos de vendaval. “Não temos como tirar as lonas das estufas. Não sabemos o que fazer. Então temos que deixar. Se arrancar tudo, se preparar para colocar de novo, mesmo com o preço do metro da lona”, lamenta. O produtor afirma que colocou barreiras de quebra vento para tentar proteger a única produção da família. “Com a ventania prevista, não sei se vai dar certo, mas quis tentar”, finaliza.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895