Professores municipais de Uruguaiana preconizam melhorias nas condições de trabalho

Professores municipais de Uruguaiana preconizam melhorias nas condições de trabalho

Documento reforça que o retorno a presencialidade somente deverá acontecer após a imunização dos trabalhadores da educação

Fred Marcovici

Presidente da APEMU, professora Dirce Gracioso Soares, encaminhou ao prefeito Ronnie Mello as deliberações do magistério municipal

publicidade

A Associação dos Professores e Especialistas de Educação da Rede Municipal de Uruguaiana (APEMU), por meio da presidente da entidade, professora Dirce Gracioso Soares, encaminhou ao prefeito Ronnie Mello as deliberações do magistério municipal aprovadas em Assembleia da categoria, com a expectativa da acolhida pelo Executivo, considerando a relevância do conteúdo e reflexos significativos na educação municipal e, com prioridade, na vida de professores, alunos e famílias e, por extensão, em toda sociedade, no presente e no futuro.

A categoria reivindica melhoria das condições de trabalho na forma remota e híbrida de modo a assegurar o atingimento de todos os alunos da rede de ensino e melhoria dos resultados da aprendizagem pela qualificação dos meios de ensino online, incluída a efetiva recuperação das lacunas de aprendizagem decorrente da pandemia. Implementar a rede de apoio às famílias dos alunos positivados ou com sequelas decorrentes da Covid-19, considerando-se o número expressivo de famílias em situação de vulnerabilidade social, com dificuldades para o atendimento às necessidades básicas e com exigências não atendidas para a recuperação plena da saúde. Realizar consulta às famílias sobre o retorno ou não à presencialidade, às vistas da evolução do número de contágio da Covid-19 e ocupação hospitalar dos leitos clínicos e de UTI, além da demanda para atendimento de outras comorbidades graves como aquelas agravadas pela priorização do atendimento à pandemia.

O documento reforça, ainda, que o retorno a presencialidade somente deverá acontecer após a imunização dos trabalhadores da educação, na forma recomendada pelas autoridades em saúde e com a disponibilização de 50% dos leitos clínicos e de UTI. Importante considerar a rapidez da evolução da doença, a contaminação exponencial de pessoas de menor idade e sem comorbidades, incluído jovens e crianças, bem como o número de contágios, mesmo após a 1ª dose da vacina, com necessidade de internação hospitalar para recuperação da saúde.

Outro aspecto preocupante é a constatação de que o abrandamento das medidas restritivas de circulação tem provocado a disseminação do vírus provocando o alerta dos gestores de todas as áreas. Dirce conclui apontando ser preciso considerar a manifestação pública da coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fantinato, e Laurício Cruz, diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do “elevado risco de exposição a vírus respiratórios aos trabalhadores da educação”.

A prefeitura 

O município, até o momento, afirmou ainda não ter recebido o documento firmado pela APEMU. E assim que for recebido vai estudar as reivindicações e levar em consideração o conjunto de propostas como tem feito com todos os pleitos do magistério da rede municipal de ensino.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895