Pronto-Socorro da Santa Casa do Rio Grande atende apenas casos de urgência
capa

Pronto-Socorro da Santa Casa do Rio Grande atende apenas casos de urgência

Governo estadual deve ao hospital R$ 3,3 milhões, referentes a repasses atrasados de 2017

Por
Angélica Silveira

publicidade

O Pronto-Socorro da Santa Casa de Rio Grande, na Zona Sul do Estado, está atendendo somente casos de urgência. Conforme a direção do hospital, a medida foi tomada em função da demanda esgotada. Os pacientes não atendidos no local são encaminhados ao Hospital Universitário da Furg.

Segundo o presidente da Santa Casa, Dom José Mário Stroher, o governo estadual deve R$ 3,3 milhões, referentes a repasses atrasados de 2017. Com isto, os 1,3 mil funcionários da instituição estão com os salários atrasados dois meses, além de valores referentes a 13º e férias. “Existem paralisações pontuais de funcionários, mesmo assim não há a possibilidade de fechamento da instituição.” O estabelecimento é referência para 23 cidades na região.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que a Santa Casa de Rio Grande ficou um período sem contrato com o governo e, por esse motivo, o hospital não pode receber incentivos federais e estaduais. “Estão tramitando processos administrativos para o pagamento destes incentivos, assim como a assinatura de um novo contrato”, explica a pasta.

Greve em Canguçu
Em outro hospital da Zona Sul do Estado, os funcionários entraram em greve na quinta-feira (26), na cidade de Canguçu. Eles reclamam de atrasos nos salários, o que, segundo a direção do Hospital de Caridade, ocorre em função da falta de repasses do Estado. Os trabalhadores estão em frente ao estabelecimento, exceto os 30% que seguem em atividade. A Secretaria Estadual da Saúde confirmou que um novo contrato com o hospital foi assinado na quarta-feira, o que deve ser publicado no Diário Oficial do Estado nos próximos dias. O valor é de R$ 4,8 milhões anuais.