Relatório preliminar aponta falha de oxigênio e de sistema de segurança em hospital de Campo Bom

Relatório preliminar aponta falha de oxigênio e de sistema de segurança em hospital de Campo Bom

Secretaria Estadual de Saúde identificou os pontos que podem ter provocado a morte de seis pacientes na UTI Covid do local, em março

Stephany Sander

Instalada em 22 de março, a CPI tem prazo regimental de 90 dias após a instalação ser finalizada

publicidade

Um relatório preliminar aponta para a falta de oxigênio no tanque principal, e possível falha no sistema de segurança backup, do Hospital Lauro Réus, em Campo Bom, na manhã do dia 19 de março, quando seis pacientes morreram na UTI Covid do local. A informação é da Secretaria Estadual de Saúde (SES) que acompanha o caso, junto com o Ministério Público Estadual, Polícia Civil e Câmara de Vereadores de Campo Bom, que instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para tratar do caso.

A auditoria da Secretaria identificou que havia oxigênio reserva, mas ele não chegou aos pacientes. O documento já foi encaminhado ao hospital e ao Ministério Público. Conforme a SES, a auditoria está sendo realizada a partir de visitas à instituição, entrevistas com profissionais do hospital, acompanhamento de procedimentos e requisição de documentos. O Hospital Lauro Réus ainda não entregou todo o material solicitado, segundo a pasta.

Nesta segunda-feira, membros da CPI da Câmara Municipal estiveram na casa de saúde, fazendo uma vistoria no sistema de oxigênio que abastece o prédio. A diretora administrativa do hospital participou da ação, que contou também com a presença de um responsável pela parte de manutenção do local. "A visita foi importante em razão de termos ouvido os depoimentos das testemunhas sobre o sistema de controle e distribuição do oxigênio. Precisávamos saber até onde a empresa tem esse gerenciamento, algo que poderia ser averiguado somente in loco", diz Jerri Moraes, presidente da comissão. 

Em nota, a direção do Hospital Lauro Reus afirma ter finalizado nesta segunda-feira a Sindicância Investigativa que havia sido prorrogada para o recebimento de laudos periciais referentes ao fato ocorrido no dia 19 de março. Os trabalhos decorreram com normalidade e a documentação reunida em dossiê será entregue entre esta quinta e sexta-feira, de maneira formal e oficial às autoridades do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, Ministério Público Federal, Polícia Civil, Prefeitura de Campo Bom, Câmara de Vereadores de Campo Bom e Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul. 

Qualquer declaração adicional da parte da direção do Hospital ou da gestora somente se darão somente após a entrega formal e, uma vez devidamente alinhada com demais instituições, para que não haja o risco de interferência no trabalho dos que investigam o caso.  

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895