Revitalização do Viaduto Otávio Rocha começa e tem prazo de 18 meses em Porto Alegre

Revitalização do Viaduto Otávio Rocha começa e tem prazo de 18 meses em Porto Alegre

Cartão postal da cidade deve ter problemas solucionados e escadarias internas liberadas ao público após término

Correio do Povo

Obras foram orçadas em R$ 13,7 milhões

publicidade

As obras de revitalização do Viaduto Otávio Rocha, no Centro Histórico de Porto Alegre, começaram oficialmente nesta quinta-feira. O cartão postal construído em 1928 deve passar por sua terceira intervenção, num custo estimado em R$ 13,7 milhões e prazo de 18 meses. A desocupação de pontos comerciais era um dos passos finais para o início efetivo do projeto.

Conforme a prefeitura, o local apresenta problemas de infraestrutura, rachaduras nas paredes, fissuras, infiltrações e rede elétrica precária. A empresa Concrejato foi a vencedora de licitação e será responsável pela restauração, recuperação, correção e conservação do viaduto.

Além da reforma de todos os elementos construtivos e decorativos – com a substituição do cirex, revestimento característico do viaduto – também estão previstas soluções para as instalações elétricas, telefônicas, lógica, sistemas de segurança e iluminação pública. Serão efetuadas, ainda, adequações na rede hidrossanitária, no sistema de drenagem e um processo de impermeabilização.

"Essa é uma importante obra viária e arquitetônica. Já modificamos o trânsito de veículos e pedestres, o que altera a rotina das pessoas. Essa gestão tem investido muito na área central. São cerca de R$ 80 milhões somados, entre contrapartidas e financiamentos, para requalificar e melhorar o Centro Histórico, que é a alma de Porto Alegre’’, ressalta o secretário municipal de Obras e Infraestrutura, André Flores.

A partir da revitalização, a estrutura contará com um novo Plano de Proteção Contra Incêndios (PPCI) e passará a atender aos critérios de acessibilidade. O projeto prevê também investimentos em sinalização viária, turística e comercial. Outra intervenção importante será a que promoverá a reativação das escadarias internas do viaduto, hoje inacessíveis ao público.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895