Rio Grande do Sul tem 11 regiões em bandeira vermelha e 10 em laranja no mapa preliminar

Rio Grande do Sul tem 11 regiões em bandeira vermelha e 10 em laranja no mapa preliminar

Apesar da leve melhora dos indicadores, governo do RS alerta que ainda há risco de contaminação e esgotamento hospitalar

Correio do Povo

Porto Alegre segue na bandeira vermelha no mapa preliminar do Distanciamento Controlado

publicidade

O mapa preliminar da 39ª rodada do Distanciamento Controlado colocou 11 regiões em bandeira vermelha e dez em laranja. O governo do Rio Grande do Sul divulgou os dados nesta sexta-feira. Segundo o governo estadual, apesar da leve melhora nos indicadores, que refletiu no aumento de regiões em bandeira laranja, ainda há risco na maior parte do Estado para o esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade da contaminação do coronavírus. 

De acordo com governo do RS, os principais indicadores que apresentaram alteração foram o número de pacientes confirmados com Covid-19 internados em leitos clínicos (-2%) e em leitos de UTI (-6%). Além disso, houve também redução nos novos registros semanais de hospitalização (-9%), no total de óbitos por coronavírus (-8%) e no número de casos ativos (- 6%).

As regiões em bandeira vermelha são Porto Alegre, Cachoeira do Sul, Capão da Canoa, Erechim, Lajeado, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santo  ngelo e Uruguaiana. Já em bandeira laranja estão as regiões de Bagé, Caxias do Sul, Pelotas, Canoas, Cruz Alta, Guaíba, Ijuí, Novo Hamburgo, Santa Rosa e Taquara. 

Os municípios e associações regionais podem apresentar, até as 6h de domingo, pedidos de reconsideração, que serão analisados para que as bandeiras definitivas sejam divulgadas na segunda-feira. As medidas do Distanciamento Controlado passam a valer oficialmente a partir da meia-noite de terça-feira.

Bandeira laranja

Segungo os dados, as regiões de Taquara, Novo Hamburgo e Canoas passaram da bandeira vermelha para a laranja devido aos seus indicadores, tanto da macrorregião e também pelos individuais, registrarem reduções em número de hospitalizações e óbitos. Taquara registrou uma redução substancial de 67% nas hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos sete dias. Neste mesmo indicador, Novo Hamburgo teve uma diminuição de 30% e Canoas de 29%.

Ainda nos indicadores individuais, Canoas registrou a maior diminuição, 25%, entre as regiões no número de óbitos. Foram 21 casos nos últimos sete dias, ante 28 na semana passada e 73 na semana retrasada. Taquara também reduziu um caso, passou de cinco para quatro, o que corresponde a uma redução de 20%. Guaíba foi a única região que alterou em virtude dos indicadores da macrorregião, pois os indicadores individuais tiveram uma piora. 

A estabilização no número de internados por SRAG em UTI, aliada à queda de 16% nas internações em leitos clínicos (de 115 para 97) e de 6% no número de internados em UTI Covid (de 63 para 59), auxiliaram as regiões de Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa a retornarem para a bandeira laranja nesta rodada, apontou o governo do RS. 

Regra 0-0 e cogestão

De acordo com o mapa preliminar da 39ª rodada, 305 dos 497 municípios estão classificados em bandeira vermelha. Desses, 130 podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

Das 21 regiões, 18 estão em cogestão e podem adotar protocolos próprios, elaborados pelas respectivas associações regionais. Uruguaiana e Santa Maria, que não aderiram ao sistema e que estão em vermelho, devem seguir os protocolos determinados pelo Estado.

As nove regiões classificadas em laranja e participantes do sistema de cogestão podem utilizar protocolos de bandeira amarela, se estiverem previstos e atualizados nos seus planos regionais. Guaíba, que não aderiu, deve seguir os protocolos estaduais de bandeira laranja.

O levantamento completo da 39ª rodada está disponível neste link. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895