Rodoviários de Canoas protestam após ter plano de saúde suspenso

Rodoviários de Canoas protestam após ter plano de saúde suspenso

Trabalhadores tiveram benefício interrompido desde 8 de maio

Fernanda Bassôa

publicidade

A suspensão do plano de saúde dos trabalhadores da empresa que presta serviço de transporte público coletivo no município de Canoas (Sogal), desde o dia 8 de maio motivou a interrupção dos serviços por duas horas na tarde de segunda-feira, deixando a população sem transporte. O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Canoas (Sitrocan), Eloir Soldi, disse que a categoria vai aguardar até a próxima quinta-feira, quando haverá uma audiência, por videoconferência, mediada pelo TRT4. 
 
“A empresa tem uma série de problemáticas trabalhistas com seus funcionários, como atrasos de salários e vale-alimentação. Entretanto, neste momento de pandemia, nosso protesto é exclusivamente com relação aos atendimentos de saúde dos trabalhadores, que também é extensivo aos seus familiares”, afirmou Soldi. De acordo com ele, após a parada de segunda-feira ficou acordado que os trabalhadores terão direito a atendimentos de urgência e emergência até esta quinta-feira, quando as partes buscarão uma nova definição.
 
Conforme o Sindicato, em razão do baixo fluxo de caixa, a empresa não tem verba para honrar os compromissos com as despesas médicas, cujo débito estaria na casa de R$ 1,7 milhão. A Sogal foi procurada pela reportagem, mas não deu retorno.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895