São Borja quer cobrar desinfecção de caminhões que cruzam a Ponte da Integração

São Borja quer cobrar desinfecção de caminhões que cruzam a Ponte da Integração

Medida solicitada se refere a veículos procedentes dos países do Mercosul que utilizam a passagem

Fred Marcovici

Prefeito Eduardo Bonotto relacionou a medida de caráter preventivo visando controlar possíveis contágios na região

publicidade

A prefeitura de São Borja quer cobrar desinfecção de caminhões do transporte internacional que cruzam a Ponte da Integração, que liga o município a Santo Tomé na Argentina. O prefeito Eduardo Bonotto relacionou a medida de caráter preventivo visando controlar e conter possíveis contágios pelo coronavírus na região. 

Bonotto oficiou o Consórcio Empresarial Mercovia S/A  para que adote o mesmo sistema de desinfecção empregado no Centro Unificado de Fronteira (CUF), na travessia binacional, direcionado a todos os caminhões que ingressam no território brasileiro. 

A medida solicitada se refere, principalmente, a desinfectar os caminhões procedentes da Argentina e do Chile ou dos demais países do Mercosul que utilizam a Ponte, no intercâmbio comercial com o Brasil. 

O pedido de Bonotto foi formalizado ao presidente da Mercovia, José Luiz Vassoler. Um dos argumentos também é uma questão de isonomia, visto que caminhões brasileiros são desinfectados ao ingressarem em território argentino. 

O prefeito e o diretor comercial da Mercovia, Alcir Jordani Magagna, trataram da questão para alinhar ações em conjunto. Uma delas prevê que a prefeitura de São Borja auxilie na operação de higienização.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895