São Leopoldo aplica a primeira dose da vacina em idosos acima de 78 anos

São Leopoldo aplica a primeira dose da vacina em idosos acima de 78 anos

Segunda dose para profissionais da área da saúde também é disponibilizada

Stephany Sander

O drive-thru do Largo Rui Porto funcionará até o meio-dia e das 13h30 às 16h com entrada pela avenida Dom João Becker

publicidade

São Leopoldo disponibiliza, a partir da manhã desta quarta-feira, a vacinação contra a Covid-19 para idosos acima de 78 anos. Para quem for de carro, o drive-thru do Largo Rui Porto funcionará até o meio-dia e das 13h30min às 16h. A entrada é pela avenida Dom João Becker.

A aplicação será feita também, no mesmo horário, na antiga sede da Unisinos, para quem optar por ir a pé. No local, com entrada pela praça Tiradentes, é feita ainda a segunda dose da imunização para profissionais de saúde dos serviços Hospital Unimed, Hospital Centenário, Centro Clinico Gaúcho, atenção básica, Caps, Centro de Saúde Feitoria, Doctor Clin, profissionais liberais, técnicos em enfermagem, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas, biomédicos e coletador de laboratório que completaram 21 dias da primeira dose da vacina Butantan/CoronaVac.

Em reunião nesta terça-feira, o Comitê Municipal de Atenção ao Coronavírus de São Leopoldo, decidiu por manter as regras da bandeira preta na cidade, adequando o decreto municipal a algumas alterações que foram feitas nos protocolos do Governo do Estado. O Comitê também definiu a suspensão temporária do estacionamento rotativo, já a partir desta quarta.

O Comitê ainda deliberou pela construção de um posicionamento público contrário ao veto presidencial ao trecho de uma Medida Provisória, aprovada pelo Congresso Nacional, que permitia a compra de vacinas por estados e municípios no caso de omissão ou de coordenação inadequada das ações de imunização por parte do Ministério da Saúde. Por determinação do Comitê, São Leopoldo irá levar para debate na Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars) e na Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre (Granpal) uma proposta de lockdown regional de 7 a 10 dias.

Na avaliação do colegiado, a proposta é necessária frente a evolução da pandemia e a situação da ocupação de leitos públicos e privados na região. “Nós temos convicção de que estas medidas duras precisam ser tomadas logo. Não podemos abandonar nossa população à morte, as UTIs estão acima da capacidade, a UPA lotada, daqui a pouco teremos que escolher quem terá direito à vida”, avaliou o prefeito Ary Vanazzi.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895