São Sebastião do Caí deve emitir decreto de situação de emergência ainda nesta sexta-feira

São Sebastião do Caí deve emitir decreto de situação de emergência ainda nesta sexta-feira

Efeitos da cheia do rio Caí, que atingiu 14,45 metros, desabrigou 54 famílias e atingiu 1,7 mil pessoas

Stephany Sander

As coordenadorias regional e estadual da Defesa Civil estiveram vistoriando as áreas mais atingidas pela enchente

publicidade

A cidade de São Sebastião do Caí deve emitir, ainda nesta sexta-feira, decreto de situação de emergência devido à cheia do rio Caí. As coordenadorias regional e estadual da Defesa Civil estiveram vistoriando, na tarde desta quinta-feira, as áreas mais atingidas pela enchente onde se deu início ao levantamento de dados, para a elaboração do documento de decreto. Ele está em fase final e será assinado pelo prefeito Clóvis Duarte. Os efeitos da cheia do rio Caí, que atingiu 14,45 metros, desabrigou 54 famílias e atingiu 1,7 mil pessoas.

O subchefe da Casa Militar e coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Rodrigo da Silva Dutra, acompanhado pelo prefeito Clóvis Duarte e pelo secretário municipal de Assistência Social e coordenador da Defesa Civil Municipal, Pedro Griebler, visitaram as áreas afetadas pelas águas e também o ginásio municipal de esportes e o salão da Igreja Católica do bairro Rio Branco, que seguem abrigando as famílias removidas.

“Tivemos uma cheia de grandes proporções e trouxemos auxílio do Estado. Pelo que constatamos, se justifica o decreto de emergência e seguiremos apoiando o governo municipal no que for possível”, destacou o coronel Dutra.

A Defesa Civil do Estado entregou, ainda na quarta-feira, um total de 300 cobertores, 300 frascos de álcool gel, 20 protetores de face, 324 unidades de sabão e sabonete em barra, 400 pares de luvas, 10 mil máscaras simples e 2 mil peças de roupas para adultos e crianças.

“Tivemos que levar 54 famílias, mais de 160 pessoas, para os dois abrigos no bairro Rio Branco. Mas registramos 1,7 mil pessoas que tiveram casas ilhadas, pátios invadidos ou outros tipos de transtornos, mas que ficaram em suas residências ou foram para casas de parentes e amigos”, informa o coordenador Pedro Griebler.

Com o rio estando, às 8h desta sexta-feira, com cerca de 11 metros e baixando, o trabalho de limpeza de ruas, terrenos e casas já é intenso por todo o município. “As famílias alojadas nos abrigos devem permanecer por lá até segunda-feira. Há previsão de chuva para este fim de semana, portanto seguiremos dando toda a assistência necessária e só iniciaremos o retorno com as melhores condições possíveis”, salientou o prefeito Clóvis Duarte.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895