Santa Cruz do Sul terá eleição mais disputada desde a redemocatrização

Santa Cruz do Sul terá eleição mais disputada desde a redemocatrização

Prefeitura terá sete candidatos concorrendo neste ano

Otto Tesche

Santa Cruz do Sul terá sete candidatos a prefeito confirmados

publicidade

Com sete candidatos a prefeito confirmados nas convenções partidárias para concorrer na eleição de 15 de novembro, Santa Cruz do Sul terá a campanha mais disputada desde a redemocratização. A definição da composição de todas as chapas apenas ocorreu na noite de quarta-feira, próximo do fim do prazo. Nas oito eleições ocorridas no período democrático, as eleições mais disputadas foram as de 1988 (seis candidatos) e 2016 (cinco candidatos). Nas demais, o número de frentes variou entre três (1992, 1996 e 2012) e quatro candidatos (2000, 2004 e 2008).

A primeira chapa que definiou os nomes no período das convenções foi do Novo, que terá o médico Carlos Eurico Pereira como candidato a prefeito. O vereador Alex concorre pelo MDB com o apoio do PSB, PDT, PSL e Podemos. O jornalista Frederico de Barros representa o PT em aliança com o PDdoB.

A atual vice-prefeita Helena Hermany disputa pelo PP na coligação que também tem o PL, Avante e PRTB. O empresário e vereador Mathias Bertram concorre pelo PTB, com a participação do PSDB e PV. O líder separatista Irton Marx foi lançado pelo Solidariedade. Já a candidata do partido do atual prefeito, o PSD, é a ex-secretária de Educação, Jaqueline Marques, com o apoio do DEM, Republicanos e Cidadania.

Dados da Justiça Eleitoral e do Banco de Dados Eleitorais da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) mostram que o município apenas teve tantos candidatos assim durante o regime militar, quando existiam as sublegendas e um mesmo partido podia ter até três representantes no pleito. Em 1982, por exemplo, foram sete candidatos, mas três eram do MDB e dois do antigo PDS (hoje PP).


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895