Temporal provoca danos e prefeito decreta situação de emergência em Dom Pedrito
capa

Temporal provoca danos e prefeito decreta situação de emergência em Dom Pedrito

Ao menos 25 casas ficaram destelhadas, além de uma Delegacia de Polícia e uma escola

Por
Correio do Povo

Segundo a CEEE, em Dom Pedrito, o INMET registrou ventos de 125,6 km/h entre 6h e 7h da manhã de hoje.

publicidade

Os efeitos do forte temporal que atingiu nesta terça-feira parte do Rio Grande do Sul são sentidos em Dom Pedrito, no Sudoeste do Estado. Após destelhamentos, quedas de árvores e de postes e alagamentos, o prefeito da cidade, Mário Augusto, decretou situação de emergência na cidade. Ventos alcançaram os 145 km/h e provocaram dados em pelo menos 25 casas, além de uma Delegacia de Polícia e uma escola. 

De acordo com a prefeitura, foi decretado também ponto facultativo por conta da falta de energia elétrica e a impossibilidade de deslocamento dos servidores. Equipes das secretarias de Obras e Desenvolvimento Social trabalham no auxílio aos afetados. Ainda não foi contabilizado o número total de residências atingidas pelo vendaval.

Conforme o coordenador da Defesa Civil local, Clodoaldo dos Santos, 30 árvores e dois postes de energia elétrica caíram. Os bairros mais atingidos são Quincas Prestes, Santa Maria e Vereador Mariano Camboim, além das ruas Moreira César, Bento Gonçalves e Juventino de Moura. Santos relatou que 100 metros quadrados de lona foram distribuídos para cobrir moradias afetadas. 

Santa Maria 

Rajadas de vento com chuva forte também atingiram nesta terça-feira a região de Santa Maria, no Centro do Rio Grande do Sul. Segundo o Controle do Espaço Aéreo da Força Aérea Brasileira, às 8h30min, a velocidade do vento chegou a 68 km/h.

Uma árvore tombou na BR 392, na vila Block, divisa com o município de São Sepé. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local. O trânsito ficou em meia pista por 40 minutos. Na Cohab Tancredo Neves, a força do vento danificou parte do telhado de uma casa. Placas de publicidade foram arrancadas pela ventania, na BR 287, saída para São Pedro do Sul. Alguns pontos ficaram sem energia elétrica.

Na avenida Borges de Medeiros, na região Norte de Santa Maria, a força do vento arrancou o telhado de um sobrado de dois andares e jogou a estrutura para o outro lado da rua. Um casal e seus dois filhos estavam na residência, mas saíram ilesos do incidente. Na rua Appel, o muro de uma casa caiu. 

Santana do Livramento 

Em Santana do Livramento, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, o temporal teve início por volta das 6h desta terça-feira. Segundo o coordenador da Defesa Civil Flávio Duarte, os ventos atingiram 111,6 km/h.

Uma casa foi destelhada totalmente no Parque São José e outra, parcialmente, na rua Tiradentes. Ambas receberam lonas. Houve também queda de árvores nas ruas Dom Pedro II e Camilo Alves Gisler. Postes caíram no Centro do município e a região está sem luz. O acumulado de chuva das últimas 48 horas soma 55mm. 

Bagé e Quaraí 

A Defesa Civil em Bagé já contabilizou 30 árvores caídas nesta terça-feira por conta do temporal. Em alguns locais, o Corpo de Bombeiros foi acionado para auxiliar na liberação de vias que tiveram o tráfego interrompido. O número de casas afetadas pelo vendaval chegou a 23.           

Em Quaraí, de acordo com o secretário de Obras e coordenador da Defesa Civil, Juliano Goulart, houve o registro de 22 casas destelhadas – que gradativamente recebem lonas do município. A distribuição já chegou a 50 metros quadrados do material. O bairro mais afetado é o Nery Motta Corrêa, com oito moradias atingidas. As sete árvores que caíram chegaram a interromper o trânsito em alguns pontos.  

*Com informações dos repórteres Renato Oliveira e Fred Marcovici