Trabalhadores da UPA de Uruguaiana aguardam pagamento de rescisões
capa

Trabalhadores da UPA de Uruguaiana aguardam pagamento de rescisões

Grupo definirá em assembleia se ingressará com ação trabalhista. Contrato da empresa gestora da unidade se encerrou em 10 de junho

Por
Fred Marcovici

publicidade

Um grupo de 54 ex-servidores dos diversos segmentos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zilda Arns de Uruguaiana devem buscar por meio de ação trabalhista cobrar verbas rescisórias diante das demissões no último dia 10 de junho. Nesta data, se encerrou o contrato da Associação Beneficente Sílvio Scopel, que estava à frente da administração, e a prefeitura assumiu a gestão. Os trabalhadores ainda não puderam sacar o Fundo de Garantia. 

Segundo o vice-presidente do Sindisaúde, Rogério de Moraes, os valores devidos aos trabalhadores chegam pelo menos a R$ 700 mil, incluindo resíduos salariais do mês de junho. Ele destaca que os ex-funcionários estão convocados para outorgar poderes à entidade visando ingressar com ação coletiva na Justiça do Trabalho como substituto processual. Uma assembleia extraordinária estava prevista para esta terça-feira, na sede do Sindicato dos Bancários. 

A prefeitura informa que depositou em juízo os valores que a Sílvio Scopel tinha a receber e que a única parcela pendente decorre de um processo indenizatório em que a instituição ainda não apresentou a nota fiscal.


Segundo o procurador jurídico da empresa, Lisandro Machado, a associação aguarda a confirmação do pagamento pela prefeitura da última parcela do depósito judicial, cujas notas fiscais foram enviadas no último dia 29. Segundo ele, tão logo comprovado nos autos do processo, a empresa e o Sindisaúde irão peticionar em conjunto para fins de liberação dos valores que possam ser repassados de forma imediata aos trabalhadores.