União deve confirmar concessões de parques na Serra do Rio Grande do Sul

União deve confirmar concessões de parques na Serra do Rio Grande do Sul

Ministro do Meio Ambiente estará em Cambará do Sul na quinta-feira para formalizar procedimento

Por
Correio do Povo

Cânion Itaimbézinho é um dos atrativos do Parque Nacional Aparados da Serra


publicidade

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, estará em Cambará do Sul na próxima quinta-feira para formalizar as concessões da Floresta Nacional de Canela e dos parques Aparados da Serra e Serra Geral, que abrigam os cânions Fortaleza e Itaimbezinho. O pacote envolverá ainda a floresta de São Francisco de Paula. Os parques são geridos pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente. O anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro em post no Twitter, na última quarta. Procurado, o ministério informou que detalhes sobre as concessões serão apresentados no dia da visita.

O prefeito de Cambará do Sul, Schamberlaen José Silvestre, revela que um estudo de viabilidade para a concessão feito pelo ICMBio demonstrou que cinco empresas acenaram o interesse de assumir a gestão dos parques. Para ele, o primeiro reflexo positivo será a conservação ambiental. “Quando não existem recursos para manter a fiscalização, fica difícil inclusive de preservar.”

O prefeito avalia que a concessão também vai possibilitar investimentos nos parques e no entorno. Ele cita a pavimentação da ERS 427, que dá acesso ao Cânion Itaimbezinho, como uma das demandas prioritárias da região.

Conforme Silvestre, faltam 18 quilômetros a serem asfaltados até o Parque Aparados da Serra e mais 7 quilômetros até a divisa com Santa Catarina, em Praia Grande. “Receberemos o ministro, o governador Eduardo Leite, senadores e demais autoridades. É o momento ideal para consolidar um processo que existe há muito tempo, para debater a pavimentação da estrada e outros investimentos”.

Silvestre acredita que os investimentos devem gerar um aumento no número de visitantes, passando dos atuais 250 mil para 1 milhão de turistas por ano. “Não é uma proposta interessante apenas para Cambará, mas também para o Rio Grande do Sul. Os investimentos previstos irão consolidar um grande destino turístico do país.”


O prefeito de Canela, Constantino Orsolin, destaca que a concessão da Floresta Nacional será importante para a cidade e possibilitará a visitação a um local contemplado por diversas belezas naturais. “O poder público precisa oferecer serviços básicos à população, e a iniciativa privada deve ser responsável por novos investimentos que geram empregos e recursos ao município”, afirma ele.