Uruguaiana aposta em maior movimento no comércio devido ao Dia dos Pais

Uruguaiana aposta em maior movimento no comércio devido ao Dia dos Pais

Pesquisa realizada pela Fecomércio-RS aponta vendas inferiores em comparação com o ano passado

Por
Fred Marcovici

Conforme pesquisa da CNDL, mais da metade das pessoas que pretendem presentear seus pais devem optar por comprar roupas


publicidade

Os lojistas de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, aguardam e apostam em um maior movimento a partir desta sexta-feira e sábado voltado ao Dia dos Pais. Pesquisa feita pela Fecomércio-RS aponta que as vendas para a data em 2020 devem ser inferiores as realizadas no mesmo período do ano passado. "No entanto, é praticamente impossível fazer qualquer tipo de previsão neste momento. O importante agora é que os lojistas criem estratégias de como lidar com este cenário e busquem alternativas para aumentar as vendas neste período. Infelizmente, o nosso foco precisa estar em reduzir as perdas potenciais", afirma o presidente da Federação, Luiz Carlos Bohn.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Uruguaiana (Sindilojas), Read Barakat, espera uma melhora nas vendas para os dois dias que antecedem a data. "Depois de passar pelo o que estamos passando, não dá para prever mais nada. Estamos no inverno e vivemos uma semana de altas temperaturas, porém acreditamos que o período seja positivo por ser início de mês", ressalta. Segundo Barakat, os consumidores estão optando por produtos mais econômicos e a forma de pagamento mais utilizada tem sido o cartão de crédito e ainda o "auxílio emergencial".

O Dia dos Pais será celebrado com presentes por 69% dos consumidores, conforme pesquisa da Confederação Nacional de dirigentes Lojista (CNDL). Ainda segundo a pesquisa de consumo, mais da metade das pessoas que pretendem presentear (51%) devem optar por comprar roupas para os pais. A categoria acessórios e calçados ficou em segundo lugar (28%) nas escolhas, seguido de itens eletrônicos e de informática (25,1%), perfumes e cosméticos (22,18%) e celulares (15,9%).


Para os dirigentes da Câmara de Dirigentes Lojistas de Uruguaiana (CDL), as vendas deste ano devem ficar próximas as realizadas no ano passado. No entanto, os pagamentos devem ser na maioria por meios eletrônicos, avaliam.