Vacinação contra H1N1 em grupos prioritários fica abaixo da média em São Borja

Vacinação contra H1N1 em grupos prioritários fica abaixo da média em São Borja

Números ficaram em 50%, enquanto objetivo era de pelo menos 90%

Por
Fred Marcovici

São Borja registrou vacinação abaixo da média


publicidade

A Campanha Nacional de Vacinação, em São Borja, na Fronteira Oeste do RS, não atingiu o resultado esperado em 60 dias. Os grupos prioritários não estão procurando as unidades básicas de saúde e terão agora até o dia 6 de junho para a aplicação da dose. A data marca o término dos trabalhos voltados à imunização. 

Entre os grupos prioritários, estão crianças de seis meses a seis anos, gestantes e mulheres que deram à luz há 45 dias. Nestes grupos, a cobertura chega a 50%. A meta era de 90%. 

Para se vacinar, as pessoas devem procurar as Estratégias de Saúde da Família (ESFs) e a Central de Vacinas, no antigo Hospital São Francisco.  Os ESFs funcionam das 7h30min às 11h30min e das 13h às 17h. Já a Central da Vacinas funciona das 7h às 12h e das 13h às 16h. Nas localidades do interior do município, o serviço é prestado por unidade móvel da Secretaria de Saúde.


A diretora da Central de Vacinas, Caren Vidal, ressalta que não faltam doses na atual campanha, para os grupos definidos. Para o município já chegaram 30,4 mil doses.  Até esta quinta-feira, 24.272 pessoas haviam sido imunizadas. A vacina não evita a Covid-19, mas fortalece a capacidade imunológica e facilita a definição de diagnósticos.