Workshop em Esteio aborda o acolhimento a refugiados
capa

Workshop em Esteio aborda o acolhimento a refugiados

Evento promovido pela Agência da ONU para Refugiados tem a presença de capacitadores e de representantes da prefeitura

Por
Ana Lécia de Oliveira

Programação ocorre nesta quarta e quinta-feira, direcionada a integrantes de programas de atendimento

publicidade

O workshop "Boas Práticas em Integração Local de Refugiados" ocorre nesta quarta e quinta-feira em Esteio. O evento, promovido pela Agência da ONU para Refugiados (Acnur), conta com a presença de capacitores do International Rescue Committee (IRC), além de ter a participação do prefeito Leonardo Pascoal e da secretária de Cidadania, Trabalho, e Empreendedorismo, Tatiana Tanara. As palestras são direcionadas para um grupo de 38 pessoas, integrantes de programas de atendimento a migrantes, refugiados e reassentados em solo gaúcho.

Segundo Tatiana, o motivo de Esteio ter sido o município escolhido para sediar a programação deve-se ao acolhimento de 224 migrantes e refugiados venezuelanos, experiência realizada durante o processo de interiorização, no projeto promovido pela Acnur  e pelo governo federal. “O sucesso do trabalho desenvolvido com essas famílias nos tornou referência para a ONU. Hoje, já ampliamos o atendimento e temos famílias de outros países que buscaram refúgio em nossa cidade, por conta do acolhimento e respeito que direcionamos a cada um”, afirma.

Na agenda do primeiro dia estão os temas marco legal e o direito dos refugiados no Brasil; modelos do IRC e do United States Refugee Admissions Program (USRAP), com destaque para diferentes modelos de escritório em diferentes contextos; promoção da autossuficiência: estabelecimento de expectativas e identificação de pontos fortes; e emponderamento econômico e atendimento ao sobrevivente de trauma.

O evento busca capacitar ainda mais as pessoas que participam do workshop, em relação à recepção e ao auxílio para a integração local de refugiados. “O objetivo é compartilhar práticas, sejam de instituições sociais ou do governo, para melhor atender os refugiados que chegam à cidade. Acreditamos que, com o workshop, todos sairão mais preparados para este desafio crescente, que é atender estas pessoas da melhor forma,” comenta Leonardo Pascoal.

Nesta quinta-feira, a programação acontece pela manhã e à tarde e abordará os assuntos considerações culturais, engajamento comunitário e autocuidado, finalizando com o plano de ação e atividade artística. Conforme a ONU, a cada minuto, ao menos 25 pessoas, em todo o mundo, são forçadas a fugir e, todo dia, cerca de 37 mil têm que deixar suas casas, chegando a um total de 70 milhões de indivíduos nessa situação só em 2018.