Agas comemora o melhor Natal da década
capa

Agas comemora o melhor Natal da década

Supermercados venderam 9% a mais este ano em relação a 2018

Por
Correio do Povo

Agas registrou crescimento nas vendas neste Natal

publicidade

O Papai Noel não resistiu às prateleiras dos supermercados gaúchos e foi um “bom velhinho”, generoso com o segmento, que representa 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Apesar das dificuldades financeiras de boa parte dos contribuintes, as compras de presentes de Natal e para a ceia mostraram que o consumo no setor aumentou 9% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), as vendas atingiram as expectativas e o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, comemora um dado ainda mais importante para a sua área: as visitas dos clientes no fim de semana, na segunda e na terça-feira foram decisivas para o resultado positivo, que consolida o Natal de 2019 como o melhor nos últimos dez anos.

Segundo Longo, o clima festivo, as altas temperaturas e fatores conjunturais favoráveis, como a liberação do saque de parte do FGTS pelo governo federal e a possibilidade de parcelamento do IPVA no Estado. De acordo com Longo, os gaúchos estiveram muito atentos aos preços dos produtos de sua lista de compras, adequando a ceia às promoções e alternativas encontradas nas lojas. “Houve crescimento de 5% no número de visitas, mostrando intenção de pesquisar muito latente dos consumidores”, observa. Ele cita que as bebidas – refrigerantes e cervejas – foram os grandes destaques, devido às altas temperaturas, com incremento médio de 15% nas vendas. “De cada quatro itens registrados nos caixas na véspera de Natal, um era bebida. Cerca de 90% dos consumidores que passaram pelas lojas adquiriram bebidas terça-feira.”

Outro dado que chama a atenção é um crescimento de 5% na venda de carvão para churrasco, mesmo com o aumento nos preços da carne bovina. “Embora o volume físico de carne bovina tenha pequena queda nas vendas, houve clara migração para outros itens, como frango, pão de alho e salsichão, que tiveram excelentes vendas”, destaca Longo. Com relação às aves natalinas, como perus e chesters, o crescimento foi de 8%. “A diversidade de preços fez a diferença, com opções de R$ 6,90 a R$ 29,90 o quilo.” Os tradicionais panetones, também tiveram vendas acima da média (12%), enquanto brinquedos pequenos e kits de Natal registraram procura crescente na semana anterior. “O calendário ajudou o consumidor a se lembrar de mais pessoas que poderiam ser presenteadas. Assim, itens como a caixa de bombom tiveram grande procura nos últimos três dias”, destacou Longo.

O movimento no Mercado Público foi tranquilo, sem tumulto ou filas como em anos anteriores. A aposentada Galdina das Graças Santos Furtado, 71, suportou o forte calor, mas levou pernil, salsichão e farofa para a ceia. A filha Juliana, 32, estudante de psicologia, observou que “a impressão é que a maioria do pessoal não está em Porto Alegre, foi para a praia. Por isso, não está lotado”, disse. Com sacolas cheias e um sorriso de felicidade por conseguir comprar os últimos presentes para a família, a aposentada Elaine Maria Mendes da Silva justificou a aquisição de lembranças e presentes na véspera com um argumento simples: “Vim comprar agora porque o dinheiro chegou hoje (terça-feira)”.