Agas descarta desabastecimento em supermercados gaúchos e intensifica higiene em cestos e carrinhos
capa

Agas descarta desabastecimento em supermercados gaúchos e intensifica higiene em cestos e carrinhos

Associação Gaúcha de Supermercados disse que setor está "preparado" para aumento de demanda

Por
Correio do Povo

Medida busca evitar aglomerações nos estabelecimentos em razão da Covid-19

publicidade

Devido ao surto do novo coronavírus no Rio Grande do Sul, a população recorreu em massa aos supermercados para adquirir produtos suficientes para evitar sair das residências nos próximos dias. Por conta disso, a sensação foi de falta de mantimentos e produtos básicos, até mesmo em grandes redes de supermercados. No entanto, segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesar Longo, não há risco de desabastecimento de produtos nos comércios. O que acontece, segundo Longo, é que os supermercados não dão conta de repor as prateleiras na mesma velocidade em que elas são esvaziadas. “A população não precisa se preocupar, já que os supermercados estão preparados, inclusive, para aumentar o abastecimento, caso necessário”, alertou.

Para Longo, em diagnóstico técnico do setor, o cenário de pandemia é mais semelhante a datas festivas, por exemplo, do que com a greve dos caminhoneiros no Brasil, que ocorreu entre maio e junho de 2018. “É hora de tranquilizar o consumidor, não haverá falta de alimentos ou de produtos de necessidade básica. Esta é uma situação diferente da greve dos caminhoneiros, por exemplo, quando o setor estava com dificuldades para receber as mercadorias da indústria. Hoje, o abastecimento está normal”, explica.

O supermercadista anunciou uma série de medidas que o setor deve adotar para a prevenção da contaminação do Covid-19. As medidas vão desde o reforço na higienização de carrinhos, cestos e checkouts, até a suspensão das degustações em loja e a reorganização do mix de produtos com foco no autosserviço – evitando filas e sobrecarga nos balcões de atendimento de açougue, padaria e fiambreria, por exemplo. “É o momento de todos fazerem sua parte. O supermercado é como uma extensão da casa dos consumidores, e por ser um setor de atividade essencial à população, será muito demandado nas próximas semanas”, reconhece o dirigente.

A entidade enviará, nesta quarta-feira, uma cartilha orientando os associados sobre boas práticas operacionais que contribuam para a segurança sanitária dos estabelecimentos.

Porto Alegre

Na tarde desta terça-feira, o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, esteve reunido com representantes de redes de supermercados presentes na Capital. Marchezan reforçou que "não há perspectiva, a curto e médio prazo, de desabastecimento na cidade" e que não haverá restrição nos atendimentos. Em relação aos shoppings da Capital, a orientação é de que funcionem 8 horas por dia.