Aneel cobra explicações de transmissora LMTE sobre novo apagão no Amapá

Aneel cobra explicações de transmissora LMTE sobre novo apagão no Amapá

Em novembro, explosão causou racionamento de energia de mais de 20 dias no Estado

AE

Aneel cobrou explicações da concessionária

publicidade

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) cobrou explicações da concessionária Linhas de Macapá Transmissora de Energia S.A. (LMTE) sobre o novo apagão no Amapá, que ocorreu na noite desta quinta-feira, 8.

Em nota, a Aneel informou que a LMTE terá "um dia de prazo" para apresentar esclarecimentos sobre a ocorrência, "incluindo análise preliminar da causa e as medidas que estão sendo adotadas para solucionar o problema e evitar reincidências".

A LMTE é dona da subestação Macapá, que explodiu e causou um apagão de três dias e mais de 20 dias de racionamento no Amapá em novembro.

A concessionária pertence à Gemini Energy, formada pelos fundos de investimento Starboard e Perfin, que detém 85% de participação na linha. Outros 15% são da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), autarquia do governo federal vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

De acordo com a Aneel, a ocorrência levou ao desligamento de trechos da linha Jurupari/Laranjal/Macapá, da subestação Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes, Ferreira Gomes, Cachoeira Caldeirão e Santo Antônio do Jari.

"O atendimento está sendo recomposto. Até as 20h52, cerca de 130 megawatts (MW) haviam sido restabelecidos", informou a Aneel. O apagão levou ao desligamento de 200 MW.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895