Black Friday 2019 consolida espaço nas lojas de rua
capa

Black Friday 2019 consolida espaço nas lojas de rua

Estudo diz que subiu de 7% para 25% a disposição de consumir tanto na Web quanto nas ruas

Por
Gabriel Guedes

Lojas do Centro de Porto Alegre exibem ostensivamente cartazes sobre a promoção que será realizada nesta sexta-feira

publicidade

A Black Friday, data comercial importada dos Estados Unidos para a Internet brasileira em 2011, se consolida na edição de 2019. Quem caminha pelas calçadas do Centro de Porto Alegre, percebe facilmente que as lojas físicas estão mais engajadas este ano, com cartazes e ostensivos anúncios prometendo ofertas "arrasadoras" para a última sexta-feira do mês. Reflexo dos estímulos aos lojistas, que baseados em pesquisas, reforçam cada vez mais a data. Um destes estudos aponta que os consumidores que devem comprar tanto na web quanto nas ruas, subiu de 7% para 25%. É a primeira vez que o brasileiro deverá comprar tanto nos dois canais. 

"Já é a terceira data mais importante para o comércio", avalia o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse. A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-RS) estima que as vendas pelos dois canais podem movimentar até R$ 650 milhões no Estado. "O varejo abraçou a promoção, que é mais democrática, abrangendo das grandes às pequenas lojas", disse vice-presidente da CDL Porto Alegre, Irio Piva. Smartphones, eletrodomésticos, roupas, TVs, notebooks e computadores foram os cinco itens mais vendidos na última Black Friday. O analista de operações de TI, Maico Goulart, 27 anos, vem se preparando há um mês para comprar um PlayStation 4. "Estou pesquisando preços e vendo se tem vantagens no pagamento, parcelado ou à vista. Aí, anoto os preços, espero a Black Friday e procuro o produto em uma loja confiável", explica.

Estudo da Federação do Comércio de Bens e de Serviços (Fecomércio-RS) revela que mais gaúchos têm adiantado as compras de Natal. "O lojista precisa entender o comportamento do consumidor e adaptar-se. A Black Friday era conhecida como um período que as pessoas compravam coisas para si. A pesquisa mostrou que as compras 'para presentear os outros', típicas do Natal, ganharam maior espaço na Black Friday”, disse o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

A diretora-executiva do Procon Porto Alegre, Fernanda Borges, diz que o órgão pretende monitorar os preços naa sexta-feira. Os fiscais do Procon estarão presentes em estabelecimentos do varejo físico”, assegura. O diretor do Procon-RS, Luis Felipe Martini, alerta que o consumidor deve ficar atento a links e ofertas suspeitas, especialmente as recebidas por e-mail ou nas redes sociais, e redobrar cuidados na hora de confirmar a compra.