Bolsonaro sanciona Orçamento de 2022, diz Secretaria-Geral

Bolsonaro sanciona Orçamento de 2022, diz Secretaria-Geral

Publicação do ato sairá na segunda-feira. Casa Civil disse que vetos devem ficar em torno de R$ 3 bilhões

R7

Presidente sancionou texto buscando "mínimo de vetos", conforme secretário

publicidade

Em meio às articulações para as eleições de outubro e sob pressão do funcionalismo público para aumentar os salários, o presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta sexta-feira, o Orçamento da União de 2022, informou a Secretaria-Geral da Presidência. A publicação do ato, por sua vez, sairá na segunda-feira, prazo final.

A Casa Civil havia informado que os vetos no Orçamento devem ficar em R$ 3 bilhões, especificamente para recompor as despesas obrigatórias. O secretário-executivo da pasta, Jônathas Castro, não citou quais despesas serão alvo do corte. O corte citado pelo número 2 da pasta é menor do que os R$ 9 bilhões necessários para recompor as despesas subestimadas no Orçamento. O assunto foi abordado em um podcast publicado pela Casa Civil.

"A gente tem feito várias discussões com a equipe do Ministério da Economia. A equipe sentou duas ou três vezes essa semana para discutir o assunto e a busca é pelo mínimo de vetos possível. Uma coisa que já foi identificada é que a gente já notou que tem despesas de pessoal, que são obrigatórias, que precisam ser recompostas, algo em torno de R$ 3 bilhões", afirmou Castro.

"No esforço de vetar o mínimo possível, a gente identificou pontos que são cruciais e precisamos, como Executivo, tomar conta desses assuntos e há uma diretriz para que não afete outras rubricas, que possa afetar a relação com o Legislativo, e eu falo especificamente da RP9 (emenda de relator)", complementou.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895